Conseguir diminuir a taxa de condomínio é um dos maiores desejos de qualquer síndico, já que a cada mês ela costuma variar e se tornar alvo de questionamentos incessantes.

Essa tarefa é um desafio latente e requer uma análise ampla de planejamento financeiro. Trata-se de rever os gastos sempre que possível, avaliando aquilo que pode ser cortado de maneira inteligente.

Não existe fórmula mágica, mas, neste artigo, reunimos cinco dicas de ouro que vão ajudar você a diminuir a taxa de condomínio de uma vez por todas. Vamos lá?

1. Otimize as despesas com um bom planejamento financeiro

A falta de planejamento financeiro é, sem dúvidas, uma das maiores vilãs das taxas condominiais.

Por isso, é importante que o síndico ou administradora elaborem um orçamento anual, já prevendo todos os custos e despesas ao longo do período, minimizando o risco de gastos não previstos.

Além do controle de gastos, é importante garantir a correta prestação de contas em relação aos moradores. Dessa forma, você promove uma gestão mais participativa e pode garantir um maior apoio dos condôminos em relação às iniciativas de contenção de despesas e ações educativas.

2. Evite o desperdício de água e energia elétrica

Esse é um dos tópicos com impacto direto no valor da taxa. Por mais que dividam o mesmo condomínio, muitos moradores esquecem que podem ajudar uns aos outros por meio do racionamento de água e redução do consumo de energia.

Uma prática eficiente para isso, por exemplo, é o reuso e aproveitamento da água de chuva. No caso do consumo de energia, uma boa alternativa é a adoção de lâmpadas de LED, além de sensores de presença para evitar utilização excessiva em áreas pouco utilizadas.

Vale ainda investir em campanhas periódicas de conscientização de uso, a fim de instruir e engajar todos os condôminos.

Se cada um evitar o desperdício, as despesas dessa ordem podem cair significativamente. Como síndico, você pode incentivar essa ação e mostrar os benefícios provenientes da redução equilibrada.

Sendo assim, se você conseguir realizar mudanças eficientes nesse quesito, ainda que sejam pequenas, elas podem fazer diferença no valor final.

3. Automatize o controle de acesso

A automatização do controle de acesso por meio de uma portaria virtual pode ser uma boa oportunidade para reduzir as despesas. Isso porque ela contribui para a redução da folha de pagamento, excluindo o custo de mão de obra de gerenciamento de circulação no ambiente.

Sistemas informatizados podem utilizar meios como a biometria para permitir a entrada e saída de moradores de forma segura. Todo o controle de acesso é feito remotamente, proporcionando, portanto, uma maneira alternativa — porém segura — de promover comodidade aos moradores sem deixar a segurança de lado.

No entanto, antes de qualquer decisão, vale ponderar se a solução de portaria virtual é a mais viável para o perfil do condomínio, levando em conta o comportamento dos moradores, fluxo da portaria, infraestrutura, entre outros.

A dica é sempre consultar empresas especialistas no assunto e solicitar uma avaliação técnica para checar a viabilidade do projeto.

4. Cobre os inadimplentes

Moradores inadimplentes representam um grave problema para as taxas, já que o montante reunido pode acabar não sendo suficiente para o pagamento das contas.

O novo Código de Processo Civil reduziu drasticamente o prazo para inadimplentes quitarem suas dívidas. Portanto apele para isso.

Com medo de responder a processos judiciais, os devedores tenderão a buscar uma maneira rápida de fazer um acordo. Fique por dentro da legislação nova e saiba como utilizá-la a seu favor na hora de cobrar.

5. Realize manutenções preventivas

Todo condomínio precisa abrir espaço para as manutenções preventivas, uma vez que elas significam ganhos com economia, ao contrário das obras de reparação.

Para evitar reformas de grande porte, mantenha o controle da verificação do para-raios, elevadores, bomba de água, impermeabilização, possíveis vazamentos, entre outros.

Em algumas áreas, prezar pelo preço mais barato pode não valer a pena, tais como equipamentos de segurança e investimentos em tecnologia. Entretanto, com planejamento e estratégia, é possível garantir conforto e economia para todos os envolvidos.

Esperamos que nossas dicas preciosas ajudem você a diminuir a taxa de condomínio! Para uma gestão ainda mais eficaz e um planejamento financeiro assertivo, baixe nosso e-book O guia do planejamento financeiro para condomínios”.

Share: