Mais do que solucionar conflitos entre os condôminos e realizar reuniões, um síndico possui outras obrigações que devem ser cumpridas para garantir o bem-estar de todos no condomínio. Além do seu dever administrativo, existem atividades que precisam estar de acordo com o Código Civil. Por isso, conhecer quais são as atribuições de um síndico é essencial para exercer o cargo com sucesso.

Entre as funções que são obrigatórias neste cargo, um síndico precisa saber que poderá ser responsabilizado por qualquer erro ou postura inadequada. Por esse motivo, cumprir todas as tarefas necessárias com eficiência e transparência é apenas o primeiro passo para um realizar uma boa gestão.

Se você deseja conquistar esse cargo ou melhorar sua administração, conheça com detalhes quais são as principais atribuições de um síndico no condomínio!

1. Convocação de assembleias

A reunião do síndico com os moradores é fundamental para que se estabeleça uma relação saudável entre ambas as partes. Ao contrário do que alguns pensam é de extrema importância que o síndico conheça os condôminos, familiarizando-se de forma profissional.

Organizar uma assembleia é um gesto que exige, sobretudo, alguns cuidados especiais. Para a realização dessa reunião é necessário ter uma ata com todos os assuntos que serão discutidos, respeitando sua ordem.

Além disso, recomenda-se ter em mãos uma lista de presença, assim como enviar uma cópia da discussão para todos os presentes.

Em casos de descumprimento de regras ou outras violações todos os condôminos precisam ser avisados com antecedência sobre os assuntos que deram início à assembleia. Com isso, os votos serão dados de maneira consciente, quando solicitados.

2. Elaboração de orçamentos

Seja para iniciar uma obra ou contratar um novo funcionário é recomendada a realização de um orçamento por parte do síndico. Entretanto, apesar de o condomínio merecer os melhores serviços, é importante analisar o melhor custo x benefício, sempre priorizando a mão de obra qualificada.

Na hora de detalhar o orçamento, pontos como aspectos técnicos e o retorno de investimento do serviço precisam ser levados em consideração. Não se trata apenas de um cálculo financeiro, mas planejamento e gasto estratégico.

Uma boa gestão de condomínio depende da visão do síndico contratado. Se esse profissional é capaz de orçar de forma planejada, equilibrando economia e qualidade do serviço, poderá resolver problemas futuros, reduzindo o tempo empregado na gestão eficiente.

3. Prestação de contas

Assim como determina a própria lei, todo síndico tem o dever de prestar contas das suas atividades exercidas.

Por outro lado, é importante ressaltar que, quando as solicitações forem realizadas em conjunto, fica mais fácil para o síndico esclarecer as pendências que estão sendo cobradas ou informar novos assuntos necessários em uma assembleia.

4. Cumprimento do regime interno

Todas as regras do condomínio precisam ser cumpridas. Somente assim haverá boa convivência entre os moradores. Se práticas saudáveis forem criadas e acompanhadas, a gestão do condomínio será facilitada.

Por isso, o síndico precisa acompanhar aqueles que desrespeitam as normas internas, aplicando advertências e multas, quando necessário.

Se as leis forem quebradas pelo próprio síndico, os condôminos também poderão solicitar a destituição do cargo, promovendo uma nova votação, conforme a lei.

5. Conservação e guarda das partes

A conservação do condomínio é um assunto que diz respeito somente ao síndico. É de extrema importância que ele não só conheça bem todas as áreas do condomínio, como permaneça atento a qualquer modificação.

Por conta dessa responsabilidade, cabe a ele defender a segurança de todos os moradores, impedindo possíveis deteriorações ou outros problemas relacionados a fiação, lajes, sistema de água etc.

O síndico é encarregado de selecionar e contratar prestadores de serviços necessários à manutenção da construção. Portanto, qualquer acidente provocado por falta de manutenção poderá cobrar judicialmente do síndico pelos prejuízos.

6. Cobrar dos condôminos as suas contribuições

Aplicar multas e fazer a cobrança de taxas condominiais de moradores em atraso também faz parte do dia a dia desse cargo.

Ao mesmo tempo em que o síndico não pode se omitir no combate à inadimplência, ele também precisa saber como cobrar.

Ações como divulgação dos inadimplentes em áreas comuns do condomínio podem ser interpretadas como desrespeito e gerar problemas na Justiça, portanto é preciso cautela.

7. Manter a ordem e paz nos condomínios

Conflitos são comuns nos condomínios e, na maioria das vezes, por mais que o síndico não esteja pronto para tratar da questão, ele é convocado.

O bom síndico é aquele que exerce liderança natural na comunidade condominial. Isso faz com que ele esteja habilitado para funcionar como verdadeiro mediador em conflitos de maior e menor complexidade

Prezando sempre pelas regras convencionais preestabelecidas, o síndico deve trabalhar para eliminar mal-entendidos entre moradores, estimulando o convívio harmônico e a participação dos condôminos nas deliberações ligadas ao condomínio.

8. Realizar o seguro da edificação

Quem pretende se candidatar ao cargo de síndico do condomínio deve entender as regras específicas a respeito do seguro da edificação. O síndico tem obrigação de responder ativa e passivamente por qualquer inadequação ou insuficiência de seguro constatada.

Certo disso, o síndico deve agir sempre de forma profissional, contratando um seguro capaz de cobrir todos os eventos — que podem ser de vendavais a roubos — a que o condomínio esteja sujeito.

Além disso, devem ser considerados os seguros de responsabilidade civil do condomínio, do síndico, dos portões e dos veículos. A lei obriga que a periodicidade da renovação seja anual.

9. Tratar de forma igual os condôminos e moradores

Mesmo sendo uma das atribuições relativas à função, sem estar, de fato, presente em lei, o profissional precisa estar muito atento a esse ponto. Situações que causam sofrimento, humilhação, angústia e desrespeito podem trazer graves problemas judiciais.

Regras devem ser aplicadas para todos da mesma forma. O síndico deve prezar sempre pela cordialidade e boa educação, oferecendo tratamento igualitário para todos os envolvidos.

Administrar um condomínio é o mesmo que administrar a coletividade. Isso significa fazer a gestão do todo, e não parte dela.

Apesar das leis estabelecidas, ainda há muito questionamento em torno do cargo de síndico, como as dificuldades de manter uma gestão eficaz, tanto financeira como condominial.

Esperamos que você tenha esclarecido a maior parte de suas interrogações a respeito desse tema. Mas se ainda restaram dúvidas sobre as atribuições de um síndico, deixe um comentário logo abaixo para discutirmos a respeito.

Share: