Quando se tem uma política de cobrança bem estruturada, a inadimplência no varejo pode ser enfrentada com muito mais facilidade. Ela deve fazer parte do planejamento da organização e não apenas ser elaborada quando perceber que o número de inadimplentes aumentou. Se desde o começo os empresários se programarem para lidar com esse cenário, a saúde financeira estará sempre positiva.

Para conseguir criar essa política de cobrança, é necessário estabelecer algumas regras e colocá-las em prática. A seguir, mostraremos alguns passos fundamentais para isso.

Tenha informações dos clientes

Não basta apenas ter o nome do cliente e o endereço para cobrança no futuro. É preciso se prevenir e evitar possíveis devedores.

Nesse caso, é sempre válido consultar órgãos que atuam com a proteção ao crédito, como Serasa e SPC. Dependendo do grau de risco que o cliente apresente, o crediário pode ser negado ou ter o valor limitado.

Algumas soluções de mercado, já contam com a consulta integrada a esses órgão de cobrança, ou seja, a consulta é muito mais ágil e bastante segura!

Tenha uma solução que auxilie na política de cobrança

Quando se tem uma solução informatizada, que faz o acompanhamento do histórico do cliente, como os valores gastos, tempo médio de atraso no pagamento etc., fica muito mais fácil fazer a gestão dele.

Isso ajudará a ter um controle nos recebimentos e também na liberação de crédito, além de tais dados servirem para o aperfeiçoamento da política de cobrança.

Realize um contato efetivo com o cliente

Sabendo do período médio de atraso de cada cliente, se mesmo após esse prazo não houver o pagamento, é preciso contatá-lo o mais rápido possível para realizar a cobrança. Quando se conhecem os motivos que causaram a inadimplência, fica mais fácil elaborar as propostas de pagamento e receber os valores.

Esses contatos devem oferecer condições para que o cliente faça o pagamento, como parcelamentos e abatimentos dos juros. Neste momento, o varejista deve ter cuidado com a abordagem ao cliente, para que o relacionamento conquistado não seja abalado.

Tenha um manual bem estruturado

Ninguém quer que a empresa perca dinheiro nem que o cliente seja prejudicado, porém, se mesmo após a negociação não ocorrer o pagamento, pode ser necessário adotar outras medidas. Estas devem estar bem definidas para saber como proceder em cada situação após realizar a cobrança.

Enviar SMS, cartas registradas e outros tipos de avisos é o primeiro passo para alertar esse consumidor. Se, mesmo assim, não houver o efeito esperado, deve-se fazer a negativação do nome e até mesmo acionar o cliente judicialmente, seguindo a lei.

No estado de São Paulo, existe a Lei 15.659/2015 que obriga as empresas a enviarem correspondência com aviso de recebimento (AR) assinado antes de negativar o nome do devedor. Esse comunicado precisa incluir razão social do credor, natureza da dívida e meio, condições e prazo para pagamento.

Mediante ao recebimento, o consumidor terá o prazo de 15 dias para realizar o pagamento antes de ter o seu nome negativado.

Além disso, as empresas devem possuir um canal de comunicação para que o consumidor possa apresentar a sua contraprova.

Ficam excluídas dessa situação as dívidas protestadas ou que estiverem em juízo.

Lembre-se de que o melhor é sempre negociar

A verdade é que a maioria das pessoas deixa de pagar as parcelas de suas compras por falta de condições financeiras, no entanto, muitas delas querem regularizar a situação. Nesses casos, é sempre bom que a sua política de cobrança foque uma negociação amigável para que a situação possa ser resolvida o mais rápido possível, assim, ambos os lados saem ganhando e resolve-se o problema mais rápido.

Se você ainda sofre com a política de cobrança de sua empresa ou tem alguma dúvida sobre o assunto, deixe o seu comentário para que possamos ajudar nessa etapa tão importante da gestão do seu negócio.

Share: