Uma das maiores preocupações das empresas é o controle de gastos, certo? Para fazer isso de forma eficiente, é preciso descobrir como o dinheiro da companhia é gasto, se o resultado obtido vale o investimento, que áreas são mais rentáveis e assim por diante. Uma das melhores formas de obter essas respostas é separar os gastos em mais de um centro de custos.

Sua empresa já usa essa estratégia administrativa? Se você quer saber mais sobre ela, continue a leitura deste artigo!

O que é um centro de custos?

Cada centro de custos representa uma área da empresa que tem relativo controle e autonomia sobre seus próprios gastos. Em geral, esses centros representam os diferentes departamentos da organização — mas isso pode variar, podendo representar projetos ou programas específicos, por exemplo.

Embora não haja uma regra única para a criação de um centro de custos, é importante que a separação seja feita de forma que justifique e facilite a alocação de gastos. Assim, não faz sentido, por exemplo, criar um centro de custos que dependa da aprovação de duas diretorias, pois isso afetaria a autonomia de uma e/ou de outra e, certamente, atrasaria o processo.

Cada centro de custos tem sua parcela de responsabilidades operacionais, financeiras e econômicas. Por isso, podem ser uma forma eficiente de agrupar receitas e despesas e, assim, permitir melhor conhecimento e facilitar a análise das diferentes partes do negócio.

Quais benefícios essa estratégia pode trazer para a empresa?

Ao fazer a separação da empresa em diferentes centros de custo, é preciso identificar as responsabilidades de cada setor ou departamento envolvido. Assim, é mais fácil saber como são feitas a separação e a aplicação dos recursos da organização. Consequentemente, a companhia fica mais organizada e controla melhor gastos e investimentos.

Conheça agora mais cinco benefícios de usar centro de custos separados na empresa.

1. Redução de custos

Quando as áreas estão divididas em centros de custos, é possível visualizar gargalos operacionais e financeiros com mais facilidade. Assim, é possível cortar gastos e ver os resultados positivos mais rápida e naturalmente.

2. Melhoria do processo produtivo

Com uma política de centro de custos, é mais fácil compreender quais são as atividades envolvidas em cada processo da empresa e, assim, tomar decisões mais adequadas. Assim, é possível direcioná-las ao crescimento e à melhoria do procedimento como um todo, sempre de olho na qualidade final.

3. Facilitação na identificação de gargalos e prejuízos

O cruzamento das informações de diferentes centros de custos possibilita a descoberta de áreas que possam, eventualmente, ser fonte de prejuízo. Para isso, é importante entender o momento de cada centro de custos para saber se não é necessário investir antes de obter retorno financeiro.

4. Suporte para o alcance das metas

O estabelecimento de metas é essencial para nortear o desempenho da companhia. Para que sejam efetivamente alcançadas, porém, elas devem ser definidas de acordo com os limites e as potencialidades da empresa. O centro de custos ajuda a entender as despesas operacionais e criar objetivos a partir deles.

5. Conhecimento sobre rentabilidade e produtividade por setor

Quando os gastos são separados, fica mais fácil conhecer o quanto cada área está rendendo (direta ou indiretamente). Apesar de não ser fácil medir esse índice em todos os departamentos, é possível criar métricas para comparação dessa informação que auxiliem nesse processo.

Por suas características, o centro de custos é benéfico em empreendimentos de todos os portes e segmentos. O nível de organização por ele proporcionado permite que haja mais controle sobre as atividades da empresa e do negócio, incluindo custos, despesas e resultados.

Quer acompanhar outros artigos sobre gestão como este? Então, assine nossa Newsletter e saiba sempre em primeira mão sobre os conteúdos que produzimos especialmente para gestores como você.


Share: