Conteúdo atualizado em: 09/04/2019

___________________________________________________________________________

São diversos os benefícios de ser dono do próprio negócio: você trabalha com o que gosta, tem autonomia para tomar decisões, gera emprego e renda e, ainda, tem a oportunidade de transmitir valores. Entretanto, empreender é sempre um desafio e não seria diferente em uma gestão de rede de lojas próprias.

Neste artigo, vamos explicar alguns obstáculos que podem surgir na trajetória do empreendedor de uma rede de lojas próprias e, também, abordaremos algumas soluções práticas para esses casos. Confira!

1. Manter a equipe de vendas motivada

Manter a equipe de vendas motivada dentro da gestão de rede de lojas é uma das maiores dificuldades enfrentadas por muitas empresas. Colaboradores desestimulados, sobrecarregados e insatisfeitos apresentam baixa produtividade, dificilmente batem metas e, consequentemente, comprometem os rendimentos do negócio.

Para driblar essa problemática na sua rede de lojas próprias, informe-se sobre os fatores que estão contribuindo para a desmotivação do pessoal. Eles podem ser:

  • falta de empatia, confiança e/ou reconhecimento;
  • carência de treinamentos e capacitações;
  • ausência de feedback;
  • salário incompatível com o mercado;
  • metas muito acima da realidade da equipe.

É importante destacar que a motivação é fundamental para que seus colaboradores continuem se desenvolvendo profissionalmente e aprimorando suas habilidades.

Além disso, uma equipe motivada tem foco nos objetivos do negócio, não desanima diante dos obstáculos e é receptiva para aderir às melhorias e novas práticas.

2. Conhecer a escalabilidade do negócio

Conhecer a escalabilidade da sua empresa é imprescindível para saber qual seu potencial no mercado e, também, para identificar como e onde o negócio poderia falhar.

A falta de escala e a consequente dificuldade de negociação com a indústria são barreiras na gestão de uma rede de lojas próprias. Portanto, é preciso estruturar um plano detalhado e estudar variáveis implicadas na implantação da marca, para garantir que a empresa tenha bons resultados.

Além disso, para atestar que a produção seja de melhor qualidade, é interessante firmar parcerias com fornecedores que já abastecem produtos nas grandes empresas e que já passaram por processos de auditoria.

3. Competir com marcas líderes de mercado

Outro grande desafio enfrentado por marcas próprias é a competição com marcas líderes de mercado. Elas são muito conhecidas, admiradas e, geralmente, têm um público fiel, o que torna tudo mais difícil.

Contudo, é absolutamente possível competir e obter sucesso. Entretanto, é claro, isso exigirá mais habilidades estratégicas para compensar os — prováveis — baixos recursos financeiros.

Grandes empresas sempre têm um ponto fraco, que pode ser a qualidade do produto, o preço, o processo de distribuição ou a comunicação. O ideal é que sua empresa detecte essa falha e busque se diferenciar em cima disso. Ou seja, ofereça um diferencial.

4. Engajar os consumidores

Essa, talvez, seja a adversidade mais desafiadora para solucionar. Afinal, você estará lidando com o real motivo da existência e dos rendimentos da sua rede de lojas próprias: os clientes.

É importante ressaltar que engajar os consumidores com sua marca não é um processo fácil ou rápido. Requer paciência, determinação e conhecimento.

Paciência para entender que esse envolvimento e confiança não acontecerão do dia para a noite; determinação e curiosidade, a fim de se inteirar das novidades do seu mercado e atualidades que possam interessar seu público-alvo; e conhecimento para saber como, onde e quando se relacionar com essas pessoas.

Para ser relevante para seus consumidores, você precisa conhecê-los. Por isso, analise as características do seu público. Busque informações sobre ele, sobre o que gosta, o que consome, etc. Além disso, descubra em quais redes sociais ele está e interaja com ele.

Use a criatividade para atrair os clientes para sua loja: mostre o diferencial da sua marca, tenha uma presença expressiva e atenda às expectativas do seu público.

5. Treinar os colaboradores

O treinamento dos colaboradores sempre foi um desafio das redes de varejo. Embora essa seja uma etapa fundamental para o atendimento de qualidade de todo corpo de funcionários, nem sempre ele é colocado como prioridade pelos superiores.

Treinar as pessoas que terão contato direto com seus consumidores é algo fundamental para aumentar a satisfação com a marca, alavancar as vendas e, consequentemente, potencializar a taxa de conversão em vendas.

É preciso ter em mente que a capacitação profissional é uma forma de prevenir a perda de dinheiro, já que todo o conhecimento adquirido pelos colaboradores será, indiretamente, revertido para o negócio, gerando bons resultados em médio e longo prazo.

Uma boa forma de colocar isso em prática é investindo em treinamentos online, com o formato EaD (ensino a distância). Além da equipe ter mais flexibilidade de tempo e deslocamento para assistir as aulas, essa também é uma excelente estratégia para economizar pela falta da necessidade de uma infraestrutura elaborada.

6. Prestar um atendimento de qualidade

O comportamento dos consumidores está em constante mudança. Para se adequar e prestar um bom atendimento, é fundamental manter-se atualizado — e isso não vale somente para o meio digital, as lojas físicas também se adaptam para enfrentar esse desafio, o que implica diretamente em uma boa gestão de rede de lojas.

Uma boa dica é oferecer um atendimento personalizado para o cliente. A cada dia, mais consumidores querem ter as suas necessidades antecipadas, sendo assim, não deixe de conhecer quem são eles — descubra os seus principais gostos e problemas e ofereça uma solução específica para ele.

Vale destacar que o atendimento personalizado não se limita somente à venda de produtos ou serviços, mas também na utilização da linguagem mais usual e relevante para cada um dos seus clientes.

7. Controlar o financeiro

É preciso fazer um bom controle do financeiro, observando as contas da empresa para que seja possível realizar uma boa gestão de rede de lojas. Isso acontece porque o setor financeiro é o principal responsável por garantir que alguma unidade necessite carregar o peso de lojas deficitárias.

Como o gestor não consegue estar presente fisicamente em cada um dos endereços da rede, é necessário que ele tenha condições de acompanhar precisamente os resultados. Logo, utilizar um bom mecanismo de gestão, online, preferencialmente, e eficiente seria a melhor opção. Lembrando que manter o bom controle do financeiro ainda é um dos maiores desafios das empresas de varejo.

8. Manter uma boa comunicação e identidade do negócio

O contexto afeta a comunicação com muita facilidade. Desse modo, é comum que variações aconteçam ao se trabalhar com pessoas e locais de atuação diferentes.

Se seguirmos essa lógica, podemos destacar um aspecto importante, que é a falta de percepção de uma determinada linha de trabalho, que precisaria ser identificada em cada uma das unidades do negócio por completo.

Para apontar soluções para isso, devemos ressaltar a necessidade de destacar atenção para o desenvolvimento de um plano de marketing eficiente. Esse plano precisa focar na comunicação interna e controlar as peças de publicidade, a fim de que elas estejam sempre atualizadas e voltadas tanto para o cliente quanto para o colaborador.

Enfim, não desanime diante desses percalços, pois trabalhar com sua marca proporciona diversas vantagens e as possibilidades de crescimento são infinitas.

No entanto, se os desafios na gestão de rede de lojas próprias ainda é preocupante para você, saiba que ao detectá-los, seu negócio dará o primeiro passo para superá-los.

8.1 Aumente o reconhecimento da sua marca

Uma boa forma de aumentar o reconhecimento e lembrança da sua marca é oferecer um benefício maior para seu cliente, por exemplo, a partir da oferta do cartão próprio da loja.

Além destas vantagens, o cartão private label traz a possibilidade de maior recorrência na loja, uma vez que os clientes buscam condições mais atrativas de pagamento e, por meio do cartão da sua loja, pode oferecer formas mais competitivas do que seus concorrentes. Além disso, você ainda pode agregar novas receitas à sua operação, por meio da gestão interna desta nova modalidade de pagamento.

Para saber mais sobre esta possibilidade, baixe gratuitamente nosso e-book: “Private label (cartão próprio de loja): tudo o que você precisa saber”.

Cartão próprio da loja (private label)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

http://bit.ly/ebook-private-label

Gostou deste conteúdo? Gostaria de começar a vencer essas dificuldades agora mesmo? Então aprenda mais sobre o assunto baixando nosso e-book sobre o assunto!

Share: