Conteúdo atualizado em: 02/07/2019


Programar uma viagem de férias nos períodos de festas e feriados é comum entre os brasileiros. Por outro lado, é também nesses intervalos que pessoas mal intencionadas prestam mais atenção nas moradias tentando identificar falhas na segurança condominial que abram espaço para invasões.

Se você quer evitar essas ocorrências enquanto estiver ausente do seu condomínio, saiba que existem algumas medidas que podem aumentar a segurança do local.

Neste artigo, listamos nove dicas para garantir a segurança de residências e condomínios durante esses momentos. Confira!

1. Melhore a identificação de visitantes

Festividades e feriados prolongados podem fragilizar a segurança condominial, já que o número de visitantes nas residências tende a crescer. Por isso, é necessário estar preparado para qualquer data comemorativa do ano.

Para ajudar a solucionar possíveis problemas, não permita que visitantes sejam recebidos sem estarem previamente identificados na portaria. É essencial que, ao chegarem, todos sejam anunciados, sem exceção.

Todo tipo de entrega também deve passar por um crivo especial, como presentes e entregas diversas. Desse modo, a equipe de segurança impede o acesso de prestadores de serviços não autorizados às áreas internas.

2. Aumente as inspeções e rondas

Durante o período de férias, é fundamental que a administração dos condomínios redobre a inspeção dos serviços de segurança. Ações preventivas, como a verificação do circuito interno de alarmes e TV, devem ser priorizadas.

Quando há áreas externas amplas, o ideal é que uma escala de rondas periódicas entre em vigor — principalmente durante o período noturno. Se houver um contrato em vigência com empresas de segurança patrimonial, vale a pena solicitar a intensificação da vigilância nas entradas do condomínio. Alguns bandidos podem analisar o comportamento dos funcionários para planejar o ataque, por isso, vale redobrar a atenção.

3. Redobre a atenção nas proximidades

Os funcionários precisam ficar atentos às imediações do condomínio, principalmente em casos de ausência prolongada. Por isso, é fundamental que sejam orientados a observarem movimentações estranhas nas redondezas.

Algumas situações podem ser sinais de alertas, por exemplo:

  • fechadura forçada;
  • chamadas de números desconhecidos;
  • residências marcadas;
  • funcionários novos sem aviso-prévio, em caso de empresas terceirizadas.

Além disso, alguns detalhes são utilizados por ladrões para observar se a residência está vazia, como caixa de correio cheia e luz acesa constantemente. Neste caso, o ideal é optar por lâmpadas com sensor de presença.

4. Conte com um controle de acesso eficaz

Situações indesejáveis podem ser facilmente evitadas já no acesso à portaria. Ao contar com uma solução eficaz de controle de acesso, a entrada de pessoas não autorizadas pode ser bloqueada automaticamente. Isso reduz a possibilidade de ações criminosas e garante mais segurança.

Esse controle também garante um fluxo mais organizado por meio do uso de tecnologia, que pode ser adaptada conforme as necessidades do condomínio, como:

  • reconhecimento biométrico;
  • tag veicular;
  • cartão de proximidade;
  • uso de senha.

O importante é priorizar a segurança acima de tudo. Assim, é possível capacitar a equipe da portaria para que os procedimentos de segurança sejam sempre seguidos à risca, sem dar chance para que a gestão do controle de acesso fique fragilizada.

5. Conscientize os moradores

Oriente os moradores a informar à gestão do condomínio sempre que uma viagem de férias for planejada. Esse momento é importante para relembrar atitudes a serem tomadas durante o período.

A administração pode elaborar uma campanha simples para divulgar alguns procedimentos de segurança, como:

  • manter janelas e portas trancadas;
  • esvaziar lixeiras;
  • desligar luz, água e gás;
  • fechar cortinas para não atrair bandidos;
  • evitar a divulgação da viagem para pessoas estranhas.

6. Utilize a tecnologia como aliada

Integrar equipamentos tecnológicos nas residências também ajuda o condomínio a prevenir uma série de riscos. Esses recursos são importantes aliados na segurança condominial ao manter a residência livre de invasores.

Ainda que caiba aos moradores adquirir essa estrutura, a gestão do condomínio pode colaborar na realização de parcerias com fornecedores para garantir condições de compra favoráveis. Confira alguns exemplos de equipamentos:

  • fechaduras eletrônicas;
  • sensores de vidro quebrado;
  • câmeras de monitoramento residencial;
  • botão de pânico;
  • serviços de alarmes nos cômodos.

7. Adote procedimentos emergenciais

É fundamental que você se prepare para situações emergenciais. Afinal, não se pode prever quando os problemas acontecerão. Por isso, crie um manual de instruções que oriente os funcionários sobre o que fazer em determinados acontecimentos.

Confira a lista de telefones úteis que devem constar neste documento:

  • polícia, para tentativas de assalto;
  • ambulâncias, em caso de emergências médicas;
  • bombeiros, quando houver vítimas ou casos de traumas;
  • serviços terceirizados, para quedas de energia, em que portões automáticos ficam abertos;
  • seguradora do condomínio, quando for identificada a quebra de fechaduras e outros danos;
  • medidas para falta de funcionários em troca de turno.

8. Estabeleça políticas internas

Criar um manual de boas práticas também é uma ótima maneira de educar moradores e colaboradores sobre a prevenção de problemas. Por meio dele, é possível adotar medidas de segurança condominial como normas das políticas internas.

Os funcionários devem ser informados sobre protocolos a serem seguidos, como fornecer dados sobre a rotina e o funcionamento do condomínio. Essa orientação deve ser feita logo no processo de integração do colaborador.

Já os moradores precisam ser orientados quanto às regras de entrada e saída do local. Portões automáticos abertos à longa distância, por exemplo, podem ser alvos fáceis para invasores.

9. Tenha uma gestão de colaboradores mais eficiente

A equipe de trabalho também pode fazer toda a diferença na segurança condominial. Lembre-se que o funcionário terá acesso a informações sigilosas que podem ser utilizadas por quadrilhas. Por isso, algumas medidas de proteção precisam ser tomadas em todo processo de contratação de pessoal, como:

  • anunciar as vagas em locais confiáveis;
  • pedir referências anteriores;
  • conferir se os conhecimentos estão atualizados;
  • verificar as habilitações para a função;
  • garantir um treinamento adequado.

É essencial que todo o condomínio invista em medidas para garantir a segurança das residências. O papel do síndico é criar essas ações para proteger o condomínio de invasores, além de propor medidas que ajudem os moradores a evitar problemas.

Percebeu como atitudes práticas podem fazer a diferença na hora de combater o crime? Com medidas protetivas simples, é possível evitar situações perigosas não só durante os feriados, mas também em qualquer período do ano. Por isso, invista na segurança condominial! Ao aplicar esses conselhos, a blindagem contra os invasores será mais efetiva.

Leia o nosso artigo sobre como controlar o fluxo de pessoas na portaria de condomínios e confira mais dicas sobre segurança!


Share: