O comércio varejista vem evoluindo graças às constantes mudanças que acontecem tanto no comportamento dos consumidores, quanto na tecnologia, que é aprimorada para acompanhar essas transformações. A inovação, por exemplo, é um investimento frequente nas empresas que buscam por novas maneiras de atrair e fidelizar clientes.

A Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), como também é conhecida, se refere a uma modernização que une o mundo físico ao digital. Para que isso aconteça, os mais variados dispositivos são conectados à internet.

A seguir, saiba mais sobre como o uso dessa tecnologia tem sido usada no varejo e quais são os benefícios para o setor.

Melhorar a experiência do cliente

Hoje em dia, é comum que os clientes busquem por informações na web antes mesmo de definir qual será a melhor solução para eles. As tradicionais propagandas na TV, outdoors ou folders, por exemplo, que interrompiam a ação do consumidor de algum modo, já não são tão eficazes quanto antes.

Nesse cenário, dispositivos que buscam direcionar ofertas personalizadas já estão sendo usados tanto pelos consumidores, quanto pelos lojistas. Basicamente, você pode adquirir produtos sem sair de casa, usando apenas um dispositivo móvel.

O Amazon Echo Dot é um desses aparatos que vem facilitando a vida dos consumidores e dos varejistas — que podem ter uma estrutura mais enxuta de operação e ainda conseguir dados preciosos dos clientes por meio das compras. Esse dispositivo também ajuda a melhorar a experiência do usuário, já que é simples e versátil.

Otimizar o atendimento

Pense em um centro de compras onde há um grande número de pessoas visitando várias lojas diariamente. Agora, imagine ter que acompanhar cada cliente para entender a jornada de compra de cada um. Imaginou? De maneira visual ou manual, seria praticamente impossível coletar e analisar todo esse processo, não acha?

A Internet das Coisas no varejo foi desenvolvida justamente para facilitar esse procedimento e para entender se, de fato, as necessidades dos consumidores são supridas.

Os beacons, por exemplo, são minúsculos dispositivos de geolocalização que torna o atendimento ao consumidor mais sofisticado nas lojas. Após instalar um aplicativo em seu smartphone ou smartwatch, o cliente terá acesso a promoções exclusivas quando adentrar uma loja que adotou essa tecnologia.

Com esse acompanhamento, será possível detectar para quais áreas os consumidores estão se dirigindo com maior frequência e qual o tempo de permanência em cada loja. Isso resulta em uma série de informações que podem impactar na estratégia de vendas de um negócio (se o cliente está com alguma dúvida ou se o produto não está bem exposto, por exemplo).

Monitorar o comportamento dos consumidores

A coleta de dados, também conhecida como big data, faz com que as empresas atendam os clientes de maneira personalizada, além de permitir a identificação de tendências de modo mais rápido e preciso. Como vimos, essa captação de informações também é fruto da IoT.

A experiência que um consumidor tem dentro de um estabelecimento comercial pode estar diretamente ligada às chances de finalizar uma compra. Portanto, a Internet das Coisas no varejo permitirá que as empresas criem um ambiente que favoreça a criação de oportunidades de venda e o relacionamento com os clientes.

Gostou do nosso artigo? Então acreditamos que também possa gostar destes conteúdos:

Share: