Ampliar a diversificação dos meios de pagamento é a maneira mais eficiente de aumentar as vendas porque, ainda que o consumidor não tenha o dinheiro em mãos, ele será estimulado a fechar a compra. Entretanto, muitos comerciantes ainda não exploram todas as possibilidades dos meios de pagamentos disponíveis e, assim, deixam podem perder competitividade.

Se a preocupação do varejista é a gestão do crédito, hoje ela pode ser administrada com muito mais tranquilidade pelos gestores, pois ainda que a inadimplência faça parte deste process, a boa notícia é que a oferta do crédito não precisa ser um obstáculo para o negócio, pelo contrário, se bem gerida, ela é uma ótima aliada na expansão do empreendimento.

Isso porque ao utilizar meios de pagamentos adequados, é possível ampliar as possibilidades de compra para o cliente, garantindo a segurança financeira da loja. Neste guia, você vai conhecer quais são essas opções e como variar a oferta sem correr riscos. Continue a leitura para descobrir!

Conheça os 6 principais meios de pagamento para lojistas

Facilitar as opções de pagamento e, ao mesmo tempo, manter a segurança da loja, é um dos maiores desafios dos comerciantes. Afinal, uma taxa alta de inadimplentes pode comprometer o caixa.

Por isso, é importante conhecer quais opções existem no mercado para identificar aquelas que facilitam a compra do cliente, mas, em contrapartida, também previnam riscos. Então, vamos conhecê-las.

1. À vista

Sem dúvida, o pagamento em dinheiro é o meio mais simplificado de recebimento. Não há repasse de taxas para financeiras e, ainda, permite a rotatividade do caixa. Contudo, apesar de atrativo, essa opção pode colocar a loja em uma posição altamente insegura para abordagens criminosas, como fraudes e assaltos.

Para resolver esse problema, alguns comércios disponibilizam opções como boleto bancário e cartão de débito. Assim, o consumidor pode fazer o pagamento à vista sem a movimentação do dinheiro em espécie. Mas, dessa maneira, o lojista não consegue se livrar das taxas bancárias e de administração.

Além disso, uma outra desvantagem desta modalidade é o custo da gestão (incluindo guarda e transporte) de valores — que segundo dados de mercado, pode chegar até 1% do montante). Um outro fator a ser levado em conta é conhecer bem o perfil dos seus clientes, pois atualmente grande parcela dos consumidores optam por meios eletrônicos de pagamento (como os cartões) e, desta forma, sua loja deixaria de atender este tipo de público.

2. Cheque

Os cheques dominaram os meios de pagamentos por muitos anos e, ao contrário do que alguns possam pensar, ainda são utilizados no mercado. O grande problema é que o percentual de cheques devolvidos em comparação dos compensados ainda é alto, segundo o indicador econômico do Serasa.

Um novo recurso disposto a mudar esse cenário é o cheque digital. Com ele, o consumidor continua com as opções de parcelas e pré-datar. Entretanto, o comerciante tem a garantia de pagamento proporcionado pelas instituições financeiras (ainda que isso possa trazer algum tipo de ônus financeiro ao lojista).

3. Cartão private label

Ter cartões próprios da loja, chamados de private label, são opções vantajosas, tanto para o consumidor quanto para o lojista. Enquanto o cliente ganha a flexibilidade de parcelar as compras em opções mais acessíveis do que cartões de crédito — com maior número de parcelas ou descontos exclusivos, por exemplo —, o comerciante promove a marca do negócio.

Com essas vantagens, o consumidor prioriza a loja entre os concorrentes e ainda estabelece um vínculo para realizar novas compras no futuro. Ou seja, além do meio de pagamento ser seguro para o negócio, aumenta a atração e fidelização dos clientes.

4. Cartão de crédito

O cartão de crédito é uma das opções de pagamento mais populares. Para o consumidor, ele oferece a comodidade de realizar compras imediatas, ainda que não tenha o dinheiro no momento. Além disso, consegue adquirir valores altos por meio dos parcelamentos oferecidos e as taxas de cobrança podem ser inclusas no valor da venda.

Já para o comerciante, há a garantia financeira estabelecida pelos bancos e administradoras. Na prática, as instituições repassam o valor da venda para o lojista e se encarregam da cobrança junto ao comprador. Ou seja, é uma dívida entre o emissor do cartão e o cliente.

No entanto, a desvantagem fica por conta das taxas que são repassadas ao emissor, além do baixo engajamento com a fidelização à marca, uma vez que este meio de pagamento não oferece vantagens exclusivas para uso na loja, por exemplo.

5. Modernização do crediário

Os consumidores querem condições acessíveis para realizar compras a prazo. Por isso, investir na modernização do crediário é uma maneira vantajosa de aumentar as vendas parceladas. Aliás, segundo uma pesquisa feita pelo SPC Brasil, a cada 10 brasileiros, 3 ainda utilizam esse meio de pagamento.

A diferença do crediário convencional para a modernização é a agilidade com as análises de crédito e a integração dos dados via Web, tornando o processo mais automatizado. Assim, o comerciante ganha controle sobre o negócio, conhecendo melhor o comportamento de compra dos seus consumidores e estimulando a retenção de clientes.

6. Cartão pré-pago

Os cartões pré-pagos tem conquistado o mercado, seja pela praticidade em adquirir, seja pela segurança no controle de gastos. Como não precisam de comprovação de renda, também aumentam a atração de clientes, proporcionando mais vantagem competitiva com relação a outras lojas.

Além do empreendimento ficar livre das inadimplências, essa é a melhor opção para o consumidor que investe na economia e preza por compras conscientes. 

Entenda os benefícios de diversificar os meios de pagamento na sua loja

Oferecer formas variadas de pagamento tem um fator determinante no fechamento da venda, porque muitos consumidores escolhem a loja baseando-se no meio de pagamento oferecido. Por isso, essa tática deve ser vista como um dos pré-requisitos para atrair clientes. Mas também proporciona outras vantagens. Veja!

Aumentar o faturamento

Tudo o que falamos até aqui se resume no tão sonhado crescimento das vendas. Se, por um lado, o cliente não tem dinheiro ou não trouxe o cartão de crédito, por outro, ele pode fazer o crediário próprio da loja, por exemplo. Isto é, ele compra de qualquer maneira porque as opções são diversificadas, aumentando o fluxo de caixa.

Evitar fraudes na loja

Explicamos como as compras a prazo são atrativas aos olhos do consumidor. Porém, de maneira alguma elas podem representar riscos ao comércio. Sendo assim, investir em meios de pagamento seguros evita diversos problemas que podem onerar o caixa da empresa. Alguns exemplos são cheques sem fundo, falsificação e golpes.

Proporcionar mais comodidade

Muitos compradores adotam determinados meios de pagamento por preferência. Enquanto alguns escolhem utilizar cartões, outros prezam por recursos práticos pela internet. Então, quando a loja permite que ele escolha a melhor forma de pagamento, também oferece comodidade ao proporcionar o atendimento ao cliente que ele deseja. Essa tática não apenas aumenta a satisfação como também divulga a marca no mercado.

Veja 8 dicas essenciais para fazer a gestão dos meios de pagamento na sua loja

Agora que você entende a importância dos meios de pagamentos para o crescimento das vendas, precisamos falar sobre boas práticas. Com uma gestão eficiente, os riscos de inadimplência são minimizados, garantindo o recebimento e evitando a perda de clientes. Por isso, as dicas a seguir são peças-chave ao realizar esse controle. Confira!

1. Incentive formas de pagamentos vantajosas para seu negócio

Se o cliente não tiver atrativos que justifiquem a compra à vista, ele pode utilizar outras formas de pagamento apenas por conveniência. Por esse motivo, algumas lojas oferecem benefícios para incentivar essa alternativa. 

No caso do cartão próprio da loja (private label), pensar na oferta parcelada pode ser muito mais vantajoso para o negócio, pensando nos encargos e taxas que serão destinados diretamente para o empreendimento. Além disso, essas ofertas podem ser realizadas por meio de campanhas publicitárias ou estratégias de marketing digital, utilizando gatilhos que incentivam a urgência da compra. 

Veja algumas ideias:

  • descontos que resultam em preços diferenciados;
  • promoções com brindes;
  • participação de sorteios;
  • programas de fidelidade.

2. Conceda benefícios para antecipação dos pagamentos

Incentivar a antecipação do pagamento também é uma ótima tática para reduzir a inadimplência. Na prática, a loja estabelece desconto conforme um calendário promocional. Assim, os valores são quitados até a data programada, criando no consumidor a sensação de benefício para os pagamentos adiantados.

Com isso, a loja ganha fluxo de caixa e tem a tranquilidade de pagar os fornecedores na data combinada, além de ganhar mais previsibilidade das contas a receber. Além do mais, essa prática favorece a fidelização dos clientes, proporcionando mais crescimento nas vendas.

3. Estabeleça a precificação adequada dos produtos

Calcular o preço dos produtos da forma correta é um fator essencial para garantir o sucesso do negócio. Enquanto o comerciante segue uma lógica para pagar os custos e alcançar o lucro, o consumidor consegue manter o pagamento em dia.

Em contrapartida, quando a precificação está desajustada, pode-se levar a loja a ter que vender uma quantidade acima da sua capacidade ou, até mesmo, superfaturar os produtos. Ambas situações podem tornar a atração de clientes mais difícil. Por isso, a margem de lucro deve ser calculada de acordo com a realidade da loja.

4. Tenha um registro das contas a receber

Ter um registro dos pagamentos pendentes é primordial para garantir esse rendimento. E, por dois motivos. Primeiro, sem essa informação, a empresa não consegue fazer previsão de caixa, podendo comprometer a gestão financeira de maneira significativa. Segundo, esses dados identificam detalhes sobre a dívida, como:

  • nome do cliente;
  • data da compra;
  • vencimento da fatura;
  • tempo de atraso.

Além do mais, os dados podem alimentar outra base para gerar relatórios demonstrativos. Por exemplo, podem apontar os compradores mais inadimplentes e quais gargalos incentivam esses débitos.

5. Tenha boas práticas ao realizar a cobrança

A maneira como a cobrança é feita pode influenciar o pagamento do débito, seja positivo, seja negativo. Para garantir um resultado eficaz, é importante determinar um indicativo de quando ela deve ser feita, como níveis de tolerância das dívidas. Além disso, vale a pena investir em scripts que orientem o atendente durante a abordagem.

Recomendam-se os seguintes cuidados para realizar uma cobrança amigável:

  • consultar os dados antes do contato;
  • confirmar informações com o cliente;
  • evitar a inflexibilidade na comunicação e ameaças.

6. Acompanhe relatórios financeiros

As contas a receber precisam ser acompanhadas com frequência para analisar indicadores que sinalizam pontos de melhoria. Ainda que a periodicidade possa variar de acordo com o porte ou realidade do negócio, elas devem acontecer para garantir a sobrevivência da empresa.

Caso contrário, o gestor pode ser surpreendido com um débito alto que não pôde suportar, comprometendo a reposição do estoque e administração da loja. Portanto, é fundamental estabelecer essa rotina para a análise e tratamento das ações. 

7. Crie planejamentos estratégicos

Ter um controle financeiro das contas a receber é essencial. Contudo, por si só, não consegue prover resultados. Por esse motivo, a periodicidade da análise deve vir acompanhada de um plano de ação para o lojista definir:

  • quais prioridades devem ser trabalhadas;
  • como resolver os problemas pontuais;
  • de que maneira outros desafios semelhantes podem ser evitados.

Sendo assim, deve ser definido um escopo com as ações a serem tomadas em cada caso, com seus respectivos responsáveis. Além disso, acordar quando essas conferências serão feitas, para evitar que sejam esquecidas. Com base nisso, um plano de metas precisa ser estabelecido para tratar as ações corretivas e preventivas.

8. Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia não apenas pode tornar esse trabalho mais fácil, como também está acessível. Por meio de soluções inteligentes, é possível fazer a gestão financeira de forma prática e, ao mesmo tempo, eficiente. Por exemplo, é possível visualizar as movimentações em tempo real, fazer integração entre os setores e obter relatórios que ajudam na tomada de decisão.

Essas funcionalidades são essenciais para garantir o controle financeiro da loja, porque facilitam tanto a redução de inadimplência quando a gestão. Além do mais, tudo é feito de maneira automatizada, permitindo que o lojista ganhe praticidade com as rotinas e elimine chances de erros operacionais. Veja alguns exemplos:

Diversificar os meios de pagamento é a melhor maneira de aumentar as vendas com segurança. Ao tomar os devidos cuidados, o lojista consegue oferecer múltiplas formas de o consumidor adquirir suas compras, mas sem comprometer o fluxo de caixa. Para isso, é preciso adotar formas que garantam esse recebimento, seja das instituições financeiras, seja do próprio comprador.

Você já pensou em contar com o suporte especializado para auxiliar a oferta de meios eletrônicos de pagamentos? A INFOX tem expertise no varejo e traz soluções eficazes para a oferta e gestão do crédito. Contar com esse apoio tornará seus meios de pagamento mais seguros e rentáveis, concorda?

Então, que tal otimizar a rentabilidade do seu negócio e tornar sua gestão mais eficiente? Entre em contato conosco e vamos bater um papo agora mesmo!

Share: