Administrar um condomínio pode ser desafiador, afinal, atuar nessa área é semelhante a administrar uma empresa. É preciso resolver conflitos, manter tudo funcionando e em perfeitas condições, cuidar para que as contas sejam pagas em dia, manter as áreas comuns do local limpas e outras responsabilidades que todo síndico já conhece muito bem.

Além disso, é preciso saber administrar bem os recursos pagos pelos moradores, caso contrário, o dinheiro não será suficiente para fazer as reformas e melhorias no condomínio.

Quanto maior o número de residências no local, maiores são as responsabilidades e desafios do dia a dia de trabalho de um síndico.

Neste artigo, vamos falar sobre qual o papel do síndico, como se tornar um profissional da área, a importância desse especialista dentro de um condomínio, entre outros assuntos. Enfim, aqui você encontra informações que vão ajudar você que já trabalha na área há um tempo a ser um síndico ainda melhor.

Qual é a função do síndico?

O síndico tem muitas obrigações e deve ficar bem informado sobre tudo que acontece dentro do condomínio, pois é comum que os moradores procurem por ele para sanar dúvidas e resolver problemas.

O profissional é responsável por toda a gestão do condomínio, que vai desde a mediação de conflitos até a contratação de funcionários e empresas para fazer as devidas manutenções e reparos no empreendimento, além de serviços essenciais como portaria, segurança e controle de acesso.

Ele é responsável por toda a parte administrativa e burocrática do condomínio e, por isso, pode responder judicialmente, caso haja qualquer tipo de problema relacionado à administração. Mesmo que optem por contratar uma empresa administradora, o síndico tem a responsabilidade de supervisionar o trabalho da companhia.

Além disso, um bom síndico deve conhecer a fundo as normas do condomínio, pois, dessa forma, ele consegue desempenhar com maestria seu trabalho.

Há dois tipos de síndico: o profissional e o morador. A seguir, vamos explicar a diferença entre os dois e as vantagens de desvantagens da escolha de cada um deles.

Síndico profissional

O síndico profissional é uma pessoa contratada exclusivamente para fazer o papel de gestor do condomínio. Esse especialista pode tanto ser contratado de forma autônoma ou com vínculo empregatício como pode fazer parte de uma empresa administradora.

Como um funcionário do condomínio, o síndico deve ter um horário estabelecido de trabalho, além de todos os direitos trabalhistas, caso seja um funcionário registrado.

A vantagem de contratar esse profissional é que ele já tem experiência nesse tipo de gestão e, quando houver necessidade de mediar conflitos entre moradores, ele consegue ser imparcial, já que não mora no local e, por isso, não tem vínculo com os condôminos.

Entre as desvantagens de um especialista contratado, podemos citar também o fato de ele não morar no local e ter uma visão limitada das necessidades dos moradores, já que ele não é um deles.

Síndico morador

O síndico morador é um voluntário, que apesar de não ter vínculo empregatício com o condomínio, assume as mesmas responsabilidades de um profissional. Nesse caso, ele é eleito pelos demais moradores.

Condomínios menores optam por um síndico morador, pois isso diminui as despesas, uma vez que esse profissional tem a isenção do pagamento da taxa mensal.

Mas ele tem todas as responsabilidades de um profissional contratado, podendo responder judicialmente por danos causados pelos moradores do local e falhas administrativas.

A vantagem do síndico morador é que ele mora no local e tem uma relação mais estreita com os moradores, o que contribui em decisões melhores para todos.

Em contraponto, ele não tem o mesmo conhecimento e experiência em gestão de um especialista, o que pode ser um problema em locais com muitas unidades habitacionais e moradores.

Por que o síndico é importante para o condomínio?

Há muitas pessoas que pensam que a responsabilidade do síndico em condomínio é de somente fazer cobranças de taxas mensais.

O trabalho vai muito além disso, pois, em um local onde moram diversas pessoas, é comum que problemas aconteçam. Por isso, o ideal é ter alguém que seja responsável e que consiga resolver essas questões.

O síndico é quem zela pelos interesses comuns dos moradores, pelo respeito à lei do condomínio determinada pela comunidade e pela conservação e manutenção das áreas comuns.

Sem uma pessoa responsável por esse trabalho, o local ficaria muito desorganizado. Imagine um local, com mais de 200 unidades residenciais, não ter ninguém para zelar pelo bom funcionamento da portaria, área de lazer e ainda cuidar da limpeza das áreas comuns. Isso não daria muito certo, né?

Qual é o perfil do síndico ideal?

O principal requisito para ser um bom síndico é conhecer o condomínio onde mora e ter disposição para buscar soluções que melhorem a vida dos moradores, além de trazer economia para todos.

Caso o síndico seja alguém que more no local, é essencial que ele tenha tempo para se dedicar ao trabalho, pois as responsabilidades de um gestor condominial são muitas.

No mais, é preciso que o profissional tenha conhecimento sobre direito, contabilidade e administração, pois não há como ser síndico sem ter os conhecimentos necessários para fazer uma boa gestão do dinheiro, do pessoal e manter a manutenção do local em dia.

Para assumir o cargo, o profissional deve gosta de aprender, pois ele deve conhecer a Lei nº 10.406/2002, que trata da legislação condominial. Para que a função seja exercida como prevê o novo código civil, o síndico deve estudar a lei a fundo, lembrando que ele responde civil e criminalmente por danos causados por moradores no condomínio.

No mais, um bom síndico deve ser organizado, proativo, estar disposto a ouvir reclamações, críticas, sugestões e ser bom em administrar dinheiro e contas.

Conhecer leis trabalhistas também é fundamental para uma boa gestão, visto que é ele é responsável por contratar profissionais para cuidar do acesso aos moradores e da limpeza das áreas comuns.

Como se tornar síndico?

Quem ainda não trabalha na área pode ter dúvidas de como ser síndico. Ao contrário de diversas funções, a profissão não exige formação específica e pode ser exercida por um morador, desde que ele seja eleito pelos condôminos por meio de convenção de condomínio.

Mas é preciso que o candidato ao cargo tenha habilidades específicas, que são necessárias para uma boa gestão.

Além de conhecer sobre as necessidades e funcionamento do condomínio, o síndico morador deve ter disponibilidade de tempo para exercer as funções de sua responsabilidade.

Essas são condições que moradores de diversos locais estabeleceram para eleger a pessoa que vai administrar o condomínio.

Para ser um síndico profissional, as habilidades não são muito diferentes. Mas as exigências podem ser maiores, visto que os moradores exigirão mais de uma pessoa que está sendo paga exclusivamente para administrar o condomínio.

As empresas administradoras também podem exigir conhecimentos em contabilidade, recursos humanos, direito, finanças, administração e, principalmente, na legislação condominial. Então, se você tem interesse em ser tornar um profissional da área, invista em conhecimento.

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Clique aqui para baixar o e-book gratuitamente!

Como ser um bom síndico?

Saber como ser síndico e como ser um profissional de sucesso são duas coisas diferentes. Afinal de contas, em todas as áreas há todos os tipos de especialistas, dos medianos aos excepcionais.

A seguir, vamos dar algumas dicas de como se destacar na profissão. Confira!

Enxergue o condomínio como uma empresa

O papel do síndico não é de policiar a vida dos moradores, mas, sim, de cuidar para que o condomínio, de maneira geral, seja bem conservado e tenha melhorias ao longo do tempo.

O bom profissional é aquele que trabalha para reduzir custos com taxas e investe em recursos que aumentam a valorização do condomínio.

Seja organizado

A organização é a chave para o sucesso de um síndico. Isso porque ele é responsável pelo recebimento das taxas de condomínio e pagamento de contas.

Para que ele não se perca e não deixe que contas se acumulem ou que moradores fiquem meses sem pagar o encargo devido, ele precisa ter muita organização.

Além disso, condomínios grandes demandam uma grande quantidade de trabalho. Por isso, o gestor deve ter uma boa gestão de tempo e organizar suas tarefas para que consiga realizar todas elas dentro do prazo estabelecido.

Seja transparente

Não há como ser síndico e ter a confiança dos moradores sem fazer uma gestão transparente. Isso porque o profissional vai lidar com dinheiro dos outros, o que não é uma tarefa fácil, principalmente porque tudo deve ser destinado ao funcionamento do condomínio.

Por isso, o bom profissional é aquele que presta contas de tudo que entra e sai do caixa, disponibilizando relatórios com dados sobre o uso do dinheiro dos condôminos e por que aquele dinheiro está sendo empregado em determinada reforma ou melhoria.

Tenha capacidade de tomar decisões

O trabalho do síndico envolve tomar decisões todos os dias, o que é um verdadeiro desafio, pois as medidas tomadas devem ser para o bem de todos os moradores. Mas sempre terá alguém que ficará insatisfeito com alguma medida.

Entretanto, o profissional não deve deixar que isso abale seu emocional, pois ele não terá tempo para consultar os moradores sobre todas as providências necessárias para a melhoria do condomínio.

Seja paciente e tolerante

Paciência e tolerância são virtudes essenciais para quem deseja ser um bom síndico. Isso porque você terá que lidar com diversos conflitos, como barulhos depois do horário de silêncio, presença de animais quando não é permitido, reclamações de vizinhos em relação a outros moradores.

Enfim, para lidar com esse tipo de situação é necessário paciência para escutar os envolvidos e resolver os problemas que aparecem ao longo da jornada de trabalho.

Tenha uma boa comunicação

Se você está pensando em como ser síndico, precisa ter em mente que uma boa comunicação é fundamental. Esse fator pode evitar diversos problemas com moradores e com funcionários terceirizados.

Para estreitar o relacionamento com condôminos e trabalhadores, o ideal é ficar disponível por meio de canais online, como e-mail e WhatsApp, e ainda ter um horário de atendimento estabelecido.

Quais são os direitos e deveres de um síndico garantidos pela legislação?

São diversos os direitos e deveres de um síndico. Por isso, separamos aqui quais são eles. Confira!

Direitos

Apesar de o trabalho de um síndico ser de muita responsabilidade, ele não tem apenas deveres, mas direitos também.

A remuneração é um direito básico, pois, mesmo que o profissional seja um morador, ele tem um cargo de responsabilidade e, por isso, deve ser pago por essa função.

Nesse caso, ele pode ser isento da taxa de manutenção mensal ou receber honorários — dependendo do que foi acordado na convenção de condomínio. O profissional ainda tem direito a gozar de férias, conforme as regras estipuladas pela convenção.

O síndico não tem a responsabilidade de tomar todas as decisões sozinho, pois os condôminos devem propor soluções para o bem comum.

Ele também não deve ser cobrado em demasia e os moradores devem respeitar seu horário de trabalho e não importuná-lo em certos horários do dia e em feriados e finais de semana.

Deveres

É de responsabilidade do síndico convocar assembleias, realizar o orçamento das receitas e despesas, cuidar da conservação das áreas comuns e prestar contas aos condôminos sobre o uso de seu dinheiro, quando for solicitado.

Além disso, ele deve representar o condomínio quando necessário, fazer a cobrança de inadimplentes e cobrar as devidas multas. Ou seja, ele deve fazer toda a gestão do empreendimento da melhor forma possível.

Por que o síndico deve se preocupar com a tecnologia para segurança e controle de acesso?

Quem mora em um local fechado busca segurança em primeiro lugar, pois costuma ser uma necessidade essencial das famílias, de maneira geral.

Por isso, é importante que o gestor invista em tecnologia para segurança em condomínios, pois esse tipo de solução impede a entrada de pessoas não identificadas e previne furtos e outros tipos de problemas dentro do empreendimento.

As novas tecnologias permitem monitoramento 24 horas, além do controle da entrada de pessoas. Por isso, investir em câmeras de segurança, alarmes, iluminação e equipamentos de alta performance no controle de acesso é essencial para manter a segurança, conforto e bem-estar de todos os moradores.

Qual é a solução ideal que garante a segurança e o controle de acesso no condomínio?

Um dos grandes benefícios de soluções em tecnologia para condomínios é o controle de acesso. Esse é um dos fatores mais requisitados por moradores, pois ele é a principal barreira para garantir a entrada e circulação somente de pessoas previamente autorizadas no condomínio.

Contratar uma solução como a da empresa INFOX é uma excelente alternativa para manter a segurança de todos os moradores.

Além de oferecer o que há de mais moderno em controle de acesso, a empresa oferece consultoria técnica e projetos personalizados, de acordo com a necessidade do condomínio.

Então, como ser síndico não é uma tarefa fácil, a INFOX pode ajudar você a exercer seu trabalho com mais eficiência e qualidade.

Gostou do artigo e quer conhecer melhor as nossas soluções para o seu condomínio? Então entre em contato conosco e fale com um de nossos consultores. Teremos prazer em atendê-lo!

Share: