Não é nenhuma novidade dizer que a segurança em condomínio é uma das principais razões pela qual as pessoas estão cada vez mais adotando esta alternativa de moradia. Novas tecnologias no controle de acesso, equipe de portaria capacitada e toda a infraestrutura oferecem a sensação de tranquilidade. Mas, será que tudo está funcionando adequadamente para garantir a eficácia da operação?

Os criminosos usam estratégias cada vez mais variadas e inteligentes para praticar ações mal-intencionadas. Por isso, o teste de segurança é fundamental para a reavaliação das medidas tomadas pela administração. Confira os tópicos seguintes e reflita sobre o assunto.

Incidência de roubo no bairro e regiões próximas

A existência de pontos de alta criminalidade nas proximidades do condomínio é um determinante para investimentos reforçados quanto à proteção.

Se esta localização tem rotas de fuga que facilitam a evasão dos criminosos, é preciso estar o máximo possível alinhado com o trabalho da Polícia Militar, garantindo rondas de vigilância.

Obras em andamento ou terrenos e imóveis abandonados também são lugares que chamam a atenção de criminosos. Na hora de testar a segurança, não ignore a avaliação do ambiente externo.

Estabelecimento de eficientes medidas protetivas

Ações protetivas são essenciais no combate aos riscos. Essas medidas devem ir desde um cadastro atualizado dos condôminos até à informatização dos processos, como o monitoramento de área e o controle de acesso.

Se o condomínio tem câmeras de segurança, com que frequência elas são testadas? São usadas de maneira correta? Será que o agente de portaria consegue dar conta do principal meio de entrada dos criminosos? Repense os processos por completo.

No caso do controle de acesso, é importante averiguar se a equipe de portaria está cumprindo as normas de segurança de maneira adequada, se o apontamento de dados no sistema está correto, além de, não menos importante, analisar se os equipamentos de controle de acesso estão adequados às necessidades do condomínio.

Vale ressaltar que a iluminação das áreas externas e internas também deve ser constantemente observada, assim como a proteção total das portarias e guaritas. Em caso de condomínio vertical, se possível, inclua espelhos retrovisores nas entradas e saídas das garagens. Portões, grades e fechaduras devem ser de boa qualidade e estar em ótimas condições de uso.

Treinamento da portaria

Como já dizemos, a portaria é o principal meio de entrada pelo qual as pessoas mal-intencionadas adentram o condomínio. Por conta disso, os profissionais que trabalham na vigilância precisam ser devidamente treinados para não informarem nenhum dado dos moradores. 

Além disso, busque perceber se eles ficam do lado de fora da portaria com as chaves no bolso ou se permitem a entrada de estranhos sem prévia confirmação do morador.

O controle de acesso não pode deixar furos, por isso, aposte na informatização dessa área. Estabeleça um procedimento claro para a entrada de visitantes e representantes de prestadoras de serviço. Lembre-se de criar uma maneira de verificar se os processos estão sendo seguidos de forma certa.

Acompanhamento pelos moradores

Sim, a segurança em condomínio também deve ser assunto para os moradores. É preciso incluí-los nos treinamentos e investir em maneiras de divulgar as medidas protetivas.

Faça questão de saber se eles conhecem os nomes, horários de trabalho e fotos dos funcionários e colaboradores locais. Além disso, portas e veículos devem ser devidamente trancados. 

Esse assunto deve ser levado com frequência para as assembleias. Você pode, inclusive, elogiar os moradores que demonstrarem mais preocupação com atitudes preventivas. 

Oriente os moradores a mudarem de direção discretamente ao perceberem alguém suspeito e em seguida, procurarem a segurança. 

Você sempre poderá encontrar outras dicas de segurança em condomínio nos artigos do Blog. Por isso, se inscreva em nossa newsletter e seja o primeiro a receber nossas notificações mais relevantes.

Share: