10 DICAS E REGRAS DE CONVIVÊNCIA EM CONDOMÍNIOS

8 minutos para ler

Respeito e tolerância são palavras-chave para viver em comunidade. Como já dizia o ditado, “seu direito termina quando o do outro se inicia”. Entretanto, na prática, a história é diferente. Não são raros os casos em que vizinhos entram em atrito porque não sabem respeitar as diferenças ou porque não adotam o bom senso, transformando a convivência em um verdadeiro pesadelo.

Neste artigo, vamos falar sobre a importância das regras de convivência em condomínio e sobre os problemas que elas ajudam a evitar. Para reduzir estresses e situações desagradáveis, reunimos, ainda, diversas dicas que vão ajudar a melhorar os relacionamentos dentro dos condomínios. Incentive os moradores a adotar tais práticas e tenha, assim, um espaço mais harmonioso!

Gostaria de saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e fique por dentro!

A importância das regras de convivência em condomínio

As regras de convivência devem ser claras e explícitas nos condomínios para que seja possível um convívio harmonioso. Os moradores e os gestores precisam compreender que estão vivendo em comunidade e a conduta respeitosa é a única maneira de manter a tranquilidade. Conflitos e desavenças geram estresse e dificuldades desnecessárias aos envolvidos. Observe, a seguir, algumas dicas interessantes!

1. Controlar o barulho

Se há algo que incomoda, é o barulho. Claro que, às vezes, é natural fazer um barulho a mais, sobretudo em períodos de mudança ou de reforma do imóvel. Mas, de forma geral, é fundamental controlar o volume dos equipamentos dentro de casa e, até mesmo, o tom de voz.

É preferível usar máquinas de lavar e fazer a limpeza durante o dia, evitando transtornos. Sabe aquela expressão que diz “não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você”? Então, é simples assim! Oriente os condôminos a seguirem esse pensamento. As confusões vão diminuir e o ambiente será mais tranquilo.

2. Limpar a sujeira dos pets

Não há dúvidas de que os animais são verdadeiros companheiros. A gente sente tanto amor por eles que até os consideramos da família. Contudo, para manter um bichinho de estimação em casa, é preciso ter cuidado redobrado, principalmente no que diz respeito à higiene.

Quando for passear com o animal pelas áreas comuns do condomínio, a pessoa não pode deixar de carregar uma sacola para limpar as fezes. Além do mais, é importante evitar circular com ele em locais inadequados, como na área da piscina e nos salões de jogos.

3. Apostar na cordialidade

Um simples sorriso e uma frase amigável podem fazer toda a diferença para alguém, tornando o seu dia mais alegre. E o melhor: isso é totalmente de graça. Lembre-se aqui de que gentileza gera gentileza, então, comece você mesmo a distribuir simpatia. Pode ser que os colaboradores e moradores também entrem nesse clima e sejam mais cordiais com o próximo.

4. Ter atenção às regras de segurança

A questão começa no controle de acesso utilizado no condomínio. Independentemente da tecnologia empregada, é importante que todos respeitem as regras dispostas no regimento interno e que não haja qualquer tipo de exceção, tanto por parte da equipe de portaria quanto por parte dos condôminos.

A equipe responsável pelo controle de acesso deve estar atenta aos procedimentos padrões e manter o rígido controle dos cadastros, das checagens e das liberações de pessoal, como moradores, visitantes e prestadores de serviço.

Já por parte dos condôminos, é importante não passar informações a pessoas externas e garantir a liberação de visitantes ou prestadores somente após confirmação junto à equipe. Essas medidas garantem mais segurança em condomínio a todos os interessados e evitam possíveis transtornos.

Em decorrência da pandemia originada pela COVID-19, a equipe de segurança precisa ficar ainda mais alerta sobre as pessoas que acessam o condomínio. É necessário fazer um reforço no protocolo de entrada e o registro dos visitantes e dos prestadores de serviços.

Salvar

5. Saber usar os espaços comuns

Salões de festa, espaço gourmet, quadras, área da churrasqueira, sala de jogos, espaço kids: essas áreas existem para dar mais conforto e comodidade aos condôminos. É papel dos moradores, nesse contexto, zelar pelo patrimônio do condomínio, entregando o espaço do jeito que encontraram, sempre limpo e organizado.

Em época de pandemia, é preciso redobrar os cuidados nesses locais para evitar a expansão do novo coronavírus, bem como o contágio pela COVID-19. Fale com os moradores e organize um revezamento para o uso dos espaços comuns de modo que seja possível evitar a aglomeração de usuários. Oriente também sobre o uso de máscaras e álcool em gel.

6. Não “segurar” o elevador em um andar

Os elevadores (caso seja realidade do condomínio) não devem ser mantidos parados em um determinado andar propositalmente, visto que todos os condôminos têm o direito de utilizá-los para a locomoção. Oriente os moradores para que sejam pacientes, esperem os usuários saírem para, depois, entrarem e, se possível, segurem a porta do elevador para que outros consigam acessá-lo.

7. Cuidar do lixo

O lixo doméstico deve ser depositado no lugar certo para evitar desentendimentos com a vizinhança. É fundamental que os resíduos recicláveis sejam separados dos orgânicos para facilitar a coleta. Os moradores não podem jogar lixo no chão, inclusive as bitucas de cigarro e outros materiais, que precisam ser descartados com respeito aos demais.

8. Tratar os funcionários de forma cordial

Os funcionários que cuidam da limpeza, da organização e da manutenção do condomínio estão contribuindo para o bem-estar dos moradores. Por isso, merecem a cordialidade de todos, pois não são empregados dos condôminos. Em caso de queixa sobre os serviços, o síndico ou o zelador são os responsáveis por ouvir as reclamações e repassar orientações a esses colaboradores.

9. Pagar as taxas condominiais

As taxas condominiais são utilizadas para o pagamento e para a manutenção dos equipamentos de segurança, dos portões, dos elevadores, dos serviços de limpeza e das áreas comuns. Os valores gastos são pagos por todos os moradores desde que essa regra esteja registrada e divulgada, não importa se o condômino tem perfil de devedor. Para facilitar as cobranças, a gestão financeira terá que ser transparente e não deixar dúvidas sobre o que está sendo feito.

10. Respeitar as vagas da garagem

Algumas regras são importantes quando se trata de vagas de garagem dos condomínios. Entre elas, estão as proibições de estacionar em vagas de outras pessoas sem pedir autorização, ultrapassar o espaço demarcado por usar um veículo maior, usar a garagem para depositar materiais, buzinar ou dirigir de forma descuidada.

O papel do síndico no cumprimento das regras de convivência

O síndico profissional desempenha um papel fundamental no cumprimento das regras de convivência e pode enfatizar aquelas que dizem respeito à segurança do condomínio. Ele exerce diversas funções, assume inúmeras obrigações e tem o dever de zelar pelo cumprimento das regras decididas em assembleia, convenções ou regimentos internos.

Esse profissional é responsável pela preservação das estruturas físicas e dos serviços que são prestados no condomínio. Também é obrigado a fazer a prestação de contas dos orçamentos e, por esse motivo, conta com o auxílio da contabilidade. Além disso, pode receber a isenção das taxas se for morador do condomínio ou um salário fixado em convenção.

Enfim, essas são as 10 dicas e regras de convivência em condomínio! Saiba, ainda, que é importante que cada condômino conheça o regulamento interno do local, respeitando as regras estipuladas — desde a utilização dos espaços até as questões de segurança. Assim, será possível manter um relacionamento amistoso entre os condôminos!

Gostou do conteúdo? Então, leia agora o material gratuito “Controle de acesso: o guia para garantir a segurança do condomínio” e curta a nossa página no Facebook!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-