O que é Logística 4.0: confira quais os benefícios para as empresas

O que é Logística 4.0: confira quais os benefícios para as empresas
12 minutos para ler

A logística no varejo envolve uma série de tarefas e processos importantes para a saúde das empresas. Por isso, sua gestão é fundamental para redução de custos e suporte ao crescimento da organização como um todo. Tudo isso pode ser alcançado com a logística 4.0, uma evolução do modelo de controle com o uso de tecnologia avançada.

Desse modo, é possível oferecer mais valor a clientes, distribuidores e fabricantes, com um controle maior de todas as etapas da cadeia de suprimento, de modo a eliminar erros.

Da mesma forma, dá para estocar produtos de acordo com a demanda e enviá-los corretamente para os clientes. Também dá para diminuir gargalos nos processos de envio, além de garantir a qualidade das mercadorias em todas as etapas.

Se quiser aprofundar a sua visão sobre essa forma de gestão e obter diminuição de gastos e crescimento de seu rendimento, acompanhe este artigo.

O que é logística 4.0?

A ideia de logística 4.0 está associado ao conceito de indústria 4.0. Essa expressão, por sua vez, se refere à quarta revolução industrial. É marcada pelo uso intenso de tecnologias modernas para otimizar o desempenho no ambiente fabril, eliminando erros e custos e gerando maior controle para os gestores. De maneira similar, podemos aplicar essa definição ao contexto da logística.

O mundo e o mercado evoluíram consideravelmente com o surgimento das inovações modernas, como a internet. Estamos na era da produção em larga escala, mas também da produção personalizada, em que há um conhecimento maior do cliente e um compromisso maior com ele. Isso naturalmente requer um gerenciamento mais cuidadoso de todas as etapas da cadeia de suprimentos.

Desse modo, o objetivo principal é desburocratizar esse processo, com a promoção de interação entre tecnologia e humanos. A ideia é eliminar retrabalho e gargalos que possam atrasar as operações internas, gerando então mais valor para todos os envolvidos e maior lucratividade para o varejo.

Suprimento das demandas dos clientes e transformação digital

Com a fase 4.0, é possível suprir as demandas dos clientes sem maiores dificuldades. Em casos de encomendas, desde o processamento do pedido ao momento em que o cliente finalmente recebe o produto, há garantia de bons resultados. Em casos de compras instantâneas, há uma transparência maior para o gestor sobre os produtos que deixam o estoque, bem como sobre as entradas relacionadas com a venda, de maneira integrada.

As tecnologias atuam no transporte de itens e na dimensão de dados, com mais clareza sobre cada momento com o auxílio de dados valiosos.

Vale salientar que essa nova fase da logística é amparada pelos princípios da transformação digital, isto é, um estado em que a digitalização das empresas se encontra completo. Ou seja, requer um nível maior de maturidade das tecnologias das lojas, em que aplicações oferecem valor estratégico e são fundamentais para melhores resultados.

Quais seus principais fundamentos?

A logística 4.0 também é descrita com alguns pilares e fundamentos principais. Um deles é a automação. É preciso migrar de um fluxo de processos fortemente manual, em que os funcionários devem manter o controle das operações e o alinhamento entre diversas áreas, para um automático, com o auxílio da tecnologia. 

Nesse sentido, o controle de estoque deve ser automatizado com funções realizadas por soluções de gestão integrada, por exemplo. Dessa forma, as aplicações cooperam com os humanos e oferecem valor ao poupá-los de atividades mais repetitivas ou que requerem uma percepção muito precisa, como a atualização de tecnologias que controlam os produtos que estão disponíveis.

Isso também funciona devido a outro conceito importante: a integração. No mundo 4.0, todas as informações utilizadas em uma loja são devidamente integradas e conversam entre si. Desse modo, a empresa consegue uma comunicação eficiente em todos os pontos.

Outra questão é o monitoramento. Nesse novo paradigma, gestores são capazes de acompanhar tudo na logística de entregas: de uma demanda registrada até a entrega propriamente dita, passando por fornecedores, loja, distribuidores e clientes. Em todas as fases, é possível gerenciar o estado dos produtos e a integridade deles, por exemplo. 

Outro conceito importante é o de Data-Driven, que quer dizer decisões orientadas por dados. Em outras palavras, nesse novo modelo logístico, as lojas não tomam decisões com base em intuição e experiência unicamente, mas com base em dados.

Indicadores e métricas são utilizados para monitorar os resultados e garantir insights sobre o que precisa ser ajustado. O lead time (tempo de espera), por exemplo, pode se tornar um indicador e informar sobre a qualidade das entregas do varejo.

Esses ideais citados acima — monitoramento, data-driven, integração e automação — fornecem descentralização e previsibilidade para os negócios. É possível controlar o que pode acontecer com o negócio e ter uma visão mais ampla, que contempla o passado, registra o presente e prevê o futuro.

Como funciona?

Em termos práticos, a fase 4.0 da logística representa uma série de mudanças na forma como as empresas de varejo realizam suas atividades. Há um controle maior dos registros de entrada e saída de mercadorias, com um gerenciamento mais inteligente do estoque e também do inventário. Isso inclui categorização dos materiais de acordo com suas características, por exemplo.

Desse modo, a empresa é capaz de gerenciar excesso de estoque, por exemplo, garantindo alinhamento entre a demanda e o que está estocado. Da mesma forma, as tecnologias automatizam o processo de identificação de cargas recém-chegadas dos fornecedores. Isso ocorre com o uso de tecnologias RFID.

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Gmail

A evolução das entregas, da coleta e do transporte de bens ocorre com o apoio de tecnologias como Big Data, internet das coisas (IoT), Business Intelligence, sistemas cyber-físicos, robôs, entre outros. Entre eles, vale destacar a internet das coisas, que consiste em uma rede de objetos comuns conectados sem fio, via internet. Ou seja, é possível conectar qualquer ativo e até mesmo os materiais de transporte.

Com os sensores, a gestão mantém uma visão completa sobre os produtos enquanto são transportados. É possível rastrear sua localização, com alerta em tempo sobre qualquer problema que ocorrer. 

O Big Data, por sua vez, é um conjunto muito grande de dados que podem ser analisados para se tornar valiosos. Com eles, dá para fazer manutenção preditiva, com a previsão de problemas em equipamentos antes deles ocorrerem de fato.

Da mesma forma, dá para realizar previsão de demandas dos clientes, a fim de preparar a cadeia de processos para atender a isso da melhor maneira, com a aquisição dos materiais de fornecedores em tempo hábil. 

Qual a importância para a empresa?

Como já falamos, a logística 4.0 está associada à transformação digital. Nesse novo período, a TI é encarada de uma forma diferente, por essa razão, gera ainda mais valor para a companhia. Nesse sentido, aplicar as soluções características dessa fase 4.0 é ingressar no mercado da transformação, destacando o negócio.

O novo momento é marcado por uma concorrência maior. Muitas empresas estão surgindo, com novas possibilidades, já que a internet permite alcançar clientes e criar estratégias efetivas de relacionamento com eles. Assim, uma mudança de visão é necessária: de uma mentalidade tradicional para uma que aceita e entende a importância das novas tecnologias.

Com o uso dessas tecnologias para administrar as entregas e a coleta de produtos, as companhias garantem o suporte ao crescimento e mantém uma estabilidade. Afinal, as ferramentas oferecem mais organização, clareza e visibilidade. 

Quais os principais benefícios da logística 4.0 para sua empresa?

Para entender melhor como a logística 4.0 é tão fundamental para gerar resultados positivos, vamos aprofundar os benefícios. 

Menos falhas

Por conta da automação, uma das grandes vantagens desse novo cenário é a redução das falhas nos processos internos. Consideremos, por exemplo, a gestão de estoque com um inventário, uma atividade fundamental nos processos logísticos. Geralmente, quando conduzida manualmente, é comum incorrer em erros na entrada e saída de mercadorias.

A gestão manual pode gerar falhas que levem a excesso ou ruptura de estoque e perdas de produtos — cenários que não são desejáveis. Contudo, com a nova fase da administração, esses erros são eliminados em virtude do uso de sistemas automáticos e da integração de dados. Informações são atualizadas de forma autônoma, permitindo uma comunicação mais eficaz entre financeiro e o controle do estoque. 

Evidentemente, isso vai além dessa gestão e se aplica a todas as obrigações logísticas de uma empresa do varejo. Dá para obter colaboração entre diferentes áreas e menos falhas significativas.

Economia de custos

Uma das aplicações das novas tecnologias é a identificação das melhores rotas para o transporte de mercadorias. Essa questão naturalmente tem um grande impacto nas contas da loja, e um deles é justamente a economia de custos. Dá para economizar gasolina dos caminhões, por exemplo, ao definir rotas mais baratas e rápidas. Da mesma forma, é possível monitorar tudo e acompanhar os alertas em tempo real. 

Prevenção de estragos

Equipamentos ou produtos não vão mais sofrer com estragos e avarias se o seu negócio decidir optar por soluções 4.0. Afinal, haverá maior transparência, controle e monitoramento, a fim de prevenir esse cenário tão prejudicial. Isso também implica mais economia de custos.

Prazos menores

Outro benefício-chave é a diminuição dos prazos de entregas. O famoso lead time é uma das maiores preocupações dos gestores de logística, afinal, é um indicador importantíssimo para definir vantagem competitiva e rentabilidade.

Contudo, tudo no mundo 4.0 é mais ágil e eficiente. Com as melhores rotas, a loja consegue eliminar problemas e imprevistos no transporte e entregar tudo dentro de prazos bem menores. 

Segurança

Outro ponto é a segurança. O uso de internet das coisas para checar a integridade de produtos e as condições dos ativos, por exemplo, é uma amostra de como as tecnologias são cruciais para evitar problemas de segurança. Tanto para os colaboradores da empresa quanto para os parceiros e clientes. 

Satisfação do cliente

Assim, o cliente se torna mais satisfeito com os serviços da loja. Se as entregas são melhores e a integração faz com que tudo seja ágil e eficiente, com produtos sempre disponíveis, o consumidor fica feliz em negociar com a varejista e desenvolve uma relação de parceria duradoura. 

Aumento de receitas e lucratividade

O grande resultado de todos esses fatores combinados é o aumento de receita e de lucratividade. A empresa cresce, se torna capaz de disputar mercados mais amplos e supera maiores desafios.

Como aplicar a logística 4.0?

Diante de tudo o que já falamos, fica claro que é preciso abordar alguns direcionamentos para a aplicação desse conceito. Afinal, ele não está tão distante da sua realidade e pode se tornar concreto com algumas estratégias.

O primeiro fator é investimento em automação. É um dos pilares dos conceitos 4.0 e vai impulsionar os seus resultados. Por esse motivo, é imprescindível adotar soluções de gestão integrada que ajudem os colaboradores com tarefas mais precisas e ofereçam suporte ao aumento de atividades.

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Gmail

Portanto, é imprescindível não pensar em uma solução de gestão integrada. Essa ferramenta é uma boa opção, pois concentra tudo o que estamos abordando: integra as áreas da empresa, oferece automação, alivia os funcionários, gera dados e insights e permite um controle maior. Além disso, essas aplicações são altamente personalizáveis e podem ser adaptadas às suas necessidades. 

Em complemento, é importante educar os colaboradores e todo o time interno sobre esses pilares. Assim, a gestão garante que os membros estão alinhados com os objetivos e vão embarcar nessa nova fase com a liderança da loja. Também invista em facilitar a comunicação com outras frentes importantes, como fornecedores e distribuidores.

Além de tudo isso, é fundamental realizar um bom inventário das mercadorias internas, pois esse fator será crucial para obter o nível de transparência necessário. Com esse registro, é possível evitar perdas de itens, bem como garantir segurança e conformidade com leis e regulações. 

Como a INFOX pode ajudar?

A INFOX é uma empresa com mais de 30 anos de experiência no mercado de varejo e, por isso, com a devida expertise para auxiliar as lojas na adaptação a novas tecnologias e melhoria de resultados. A companhia oferece confiabilidade, segurança de dados e eficiência em seu serviço de gestão completo das demandas e necessidades de uma empresa varejista. Além disso, é possível integrar as áreas e obter visibilidade e comunicação.

No setor logístico, a solução permite uma gestão de estoque mais eficiente e automação, bem como comunicação com o controle de pagamentos e vendas. Tudo isso é garantido com a implantação de uma solução de gestão integraada e assessoria especializada para obter soluções específicas para cada segmento, além de treinamento e acompanhamento do time interno.

A logística 4.0 já é uma realidade. Seus princípios estão sendo aplicados para otimizar os processos internos das organizações e assegurar clareza em todas as etapas da cadeia de suprimentos. Da coleta até a entrega, tudo pode ser monitorado, agilizado com a automação e otimizado com dados relevantes que conduzem a melhores decisões.

Gostou do artigo sobre logística 4.0? Entre já em contato com a INFOX e conheça a nossa solução para alavancar o seu negócio!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-
Share This