A cadeia de abastecimento do varejo, também conhecida como Supply Chain Management (SCM), pode ser definida como todo o esforço desempenhado pelo empresário para conseguir oferecer o seu produto na quantidade, no local e no prazo corretos, e pelo menor custo possível.

Ela é um grande desafio para quem trabalha no setor de varejo, ao mesmo tempo em que é fundamental para qualquer negócio que se propõe a ser bem-sucedido, pois garante, em última instância, a satisfação e a retenção do cliente.

Assim, entram na cadeia de abastecimento todos os processos envolvidos desde a captação de fornecedores até a entrega ao cliente final, passando por etapas como gerenciamento da oferta e da demanda, matéria-prima, produção, estoque, distribuição e entrega.

Trata-se, portanto, de uma missão que requer planejamento, pois sem ele, o empresário certamente poderá encontrar dificuldades gerenciais e operacionais. Então, para entender mais sobre a cadeia de abastecimento do varejo, suas etapas e as vantagens que ela pode proporcionar ao seu negócio, veja este artigo que preparamos!

Conquistar os melhores fornecedores

Os fornecedores, hoje em dia, não são mais apenas empresas responsáveis pela disponibilização dos produtos comercializados em sua loja.

Dentro de uma visão integrada e atualizada de gestão, os fornecedores devem ser vistos como grandes parceiros do seu negócio. Afinal, eles são o ponto de partida da cadeia de abastecimento, sem os quais não haverá produção.

De fato, não existe uma regra única ou fórmula mágica para encontrar o melhor fornecedor. O ideal será aquele que se adapta às necessidades da sua empresa e dos seus clientes, disponibilizando produtos de qualidade, na quantidade e no tempo necessário para que o seu negócio flua bem.

Atrasos e repentinos desabastecimentos, por exemplo, não podem ser aceitos pelo empresário, pois comprometem diretamente o seu fluxo de abastecimento. Então, sempre procure fornecedores com reputação no mercado e que tenham essa flexibilidade.

Após encontrar um que se encaixe perfeitamente às suas demandas, uma boa dica é fazer um contrato de fidelidade. O documento vai formalizar o compromisso das duas partes em prestar o melhor serviço possível, além de proteger a sua empresa contra imprevistos.

Fazer o gerenciamento de estoque

Há uns bons anos, os profissionais do setor varejista já entenderam que ter um estoque gigantesco, não necessariamente, é uma boa estratégia comercial. Um estoque grande demais, em que muitos produtos ficam meses sem saída — ainda mais se for desorganizado —, pode ser a receita para o fracasso.

O mais adequado é que os empresários trabalhem hoje com um estoque reduzido, mas que não deixe de ter os produtos-chave do negócio. Ou seja, precisa estar alinhado ao tamanho da sua empresa e da sua demanda.

Assim, essa é mais uma etapa que envolve um conhecimento profundo do seu negócio e do seu fluxo de vendas para que funcione da maneira adequada.

A localização física do seu estoque também é um detalhe importante. Muitas vezes, pode ser interessante estocar seus produtos em um galpão logístico, seja ele um empreendimento próprio ou um serviço terceirizado.

Quanto a isso, antes de se decidir avalie sempre a posição geográfica do galpão. Ele deve estar em um ponto estratégico, que ofereça facilidade e qualidade de escoamento. .

Ter eficiência no transporte e distribuição

A parte de transporte e distribuição, que é basicamente a logística da sua empresa, é outra etapa fundamental dentro da cadeia de abastecimento do varejo. E uma das que mais gera custos para o negócio.

Segundo a Confederação Nacional do Transportes, a logística corresponde a cerca de 12,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e, dentro da empresa, é responsável por, aproximadamente, 8,5% da receita líquida.

Já que não há como fugir dessa etapa, é preciso, então, encarar a realidade como ela é e buscar alternativas para obter o máximo de eficiência com o que se tem.

Uma boa dica nesse sentido é investir na integração dos processos relativos ao transporte e distribuição, o que hoje pode ser feito por soluções tecnológicas.

Se a estrutura básica não colabora, uma gestão inteligente de roteirização e distribuição pode fazer frente a esses desafios.

Prever a demanda de maneira eficaz

Além dos fornecedores, do estoque, do transporte e da distribuição, ainda há outros processos envolvidos na cadeia de abastecimento do varejo que precisam ser conhecidos, estudados e bem desenvolvidos pelo empresário.

Um deles é a gestão de compras — que, naturalmente, deve ser estar alinhada aos anseios dos clientes, em respeito à relação entre demanda e oferta.

Para que haja equalização na procura e oferta, é preciso gerenciar o processo de compras de acordo com alguns fatores, como histórico de vendas, análise de sazonalidade, e outros fatores estratégicos a fim de evitar produto parado em estoque, equilibrar o giro de estoque e, principalmente, evitar a ruptura de estoque. Isto é, impedir que um produto não seja encontrado em sua loja no momento da venda.

Pode levar um tempo até que o empresário atinja o equilíbrio adequado nesse equacionamento entre compras e vendas com a garantia de um retorno, porém, esse é um exercício de gestão fundamental, que servirá como um verdadeiro alicerce financeiro de sua empresa.

Inclusive, vale lembrar que, por conta do fácil acesso à Internet, os clientes estão cada vez mais bem informados, o que os torna, também, mais exigentes. É crucial estar ciente desse novo comportamento de consumo e trabalhar de forma condizente e ele.

Garantir o fluxo de abastecimento

Para que a sua cadeia de abastecimento funcione da maneira adequada, é preciso que o empresário faça o acompanhamento contínuo de todas as etapas envolvidas, e que haja participação e comunicação entre todas as partes.

Quaisquer modificações, alterações ou atualizações devem ser prontamente comunicadas a todos os agentes envolvidos, para que falem a mesma língua e trabalhem em prol de uma mesma meta. Só assim será possível ter um fluxo de abastecimento que opere a favor de sua empresa.

Enfim, podemos dizer que, se bem pensada e bem executada, a cadeia de abastecimento do varejo pode garantir benefícios como:

  • captação e retenção de clientes;
  • aumento no ciclo de vendas;
  • redução sensível dos custos;
  • agregação de valor à sua marca.

Por isso, ela é requisito básico para quem pretende fazer seu negócio crescer e prosperar.

Então, gostou do nosso artigo sobre a cadeira de abastecimento do varejo? Agora, para mais informações e dicas como estas, aproveite para assinar a nossa newsletter e receba, em primeira mão, nossos próximos conteúdos!

Share: