fbpx

AFINAL, O QUE É GESTÃO DE RISCO DE CRÉDITO?

13 minutos para ler

Correr riscos é parte da rotina de qualquer empreendedor. Afinal, sem fazer algumas apostas, dificilmente você ganha os prêmios maiores. Porém, é importante seguir esse caminho com responsabilidade para não sofrer perdas desnecessárias. Para isso, serve o trabalho de gestão de risco de crédito. E o que seria isso?

Bem, os riscos de crédito são as chances de que sua empresa sofra algum prejuízo associado ao não cumprimento de um acordo. Na oferta de crédito no varejo, por exemplo, isso acontece quando um cliente não efetua um pagamento no prazo determinado. A gestão de risco representa as atitudes que você pode tomar para prevenir essa perda.

Agora que você entende um pouco o que é a gestão de risco de crédito, veja aqui os principais benefícios e passos para colocá-la em prática!

O que é gestão de riscos?

Gestão de riscos é uma atividade realizada pelos profissionais responsáveis para coordenar os processos de modo que uma empresa não seja atingida por eventos negativos que podem acontecer no decorrer do tempo. A ideia é evitar potenciais incidentes externos ou internos identificando a possibilidade de ocorrências em um cenário futuro.

A gestão de riscos identifica oportunidades que devem ser aproveitadas pela organização e impede que determinadas ameaças se tornem realidade e prejudiquem a imagem dos negócios. Ela está relacionada com diversas áreas, como compliance e logística. Os gestores também fazem parte da construção das estratégias que são essenciais para o sucesso da empresa.

O que são os riscos?

Para a Administração, os riscos são as probabilidades de acontecimentos futuros, aleatórios e independentes da vontade das pessoas. Eles podem causar impactos negativos ou positivos se vierem a se concretizar. O gerenciamento e o controle dos riscos dependem da quantificação e da qualificação para que sejam eliminados ou reduzidos os prejuízos financeiros e maximizados os ganhos para todos os envolvidos.

Quais são os tipos de risco?

Como você pode ver, os riscos são circunstâncias ou condições que desviam os objetivos traçados pelos gestores e que geram incertezas. As atividades produtivas geram risco que nem sempre causam dificuldades aos gestores. Mas é preciso ter ciência das situações nas quais eles estão presentes para aplicar medidas preventivas. Veja a seguir os principais tipos de riscos!

Riscos financeiros

Os riscos financeiros causam prejuízo ao caixa dos negócios, prejudicam o capital de giro, bem como o seu patrimônio. Eles afetam a saúde financeira das empresas e podem ocasionar o endividamento pela indisponibilidade de recursos. Faça um gerenciamento financeiro e evite a inadimplência de clientes, bem como a dificuldade de converter bens em dinheiro.

Riscos operacionais

Esses são os riscos relativos às falhas operacionais, por exemplo, a perda de dados pela não realização de backup que gera retrabalho e perda de prazos. Por esse motivo, é importante fazer um diagnóstico operacional e identificar os perigos para manter o funcionamento adequado de todas as operações.

Riscos estratégicos

As estratégias são indispensáveis para que uma empresa se desenvolva e se torne competitiva. Riscos estratégicos são aqueles que provêm de erros ou e ações equivocadas que provocam efeitos negativos. São as decisões tomadas devido às falhas de planejamento e que prejudicam as finanças. Para evita-los, é preciso acessar dados precisos e confiáveis.

Quais os objetivos da gestão de riscos?

A gestão de riscos tem diversos objetivos referentes ao controle de incertezas que fazem parte do universo corporativo. Ela visa à antecipação de todos os tipos de ocorrência para agregar valor aos negócios e dar proteção às empresas. Mas ela tem outras metas, como dar apoio para a tomada de decisões mais precisas e enfrentar os riscos para eliminar ou minimizar as suas consequências.

Os gestores obtêm todos os dados e melhoram a capacidade de reação às mudanças e a adaptação dos colaboradores. Com a gestão de riscos, as chances de um negócio ser bem-sucedido são muito maiores, já que as ameaças e oportunidades são identificadas antecipadamente. Ela preza pelo cumprimento das normas legais e reforça a governança corporativa.

Também é a área responsável pela alocação de recursos para mitigar os riscos e aumentar a eficiência e a eficácia operacional. A gestão de riscos gerencia os incidentes e previne as perdas, além de aperfeiçoar a aprendizagem de todos os envolvidos. Portanto, não é uma atividade autônoma e pode automatizar processos internos das organizações.

Quais são os benefícios da gestão de risco de crédito?

O processo de risco é muito importante para qualquer empresa que pretende se manter no mercado. Pode parecer mais importante se concentrar em aumentar os ganhos, mas se eles se perderem, no fim das contas, você não manterá sua margem de lucro. Antes de saber como colocar a gestão de risco de crédito em prática, é importante saber o que o seu negócio tem a ganhar com ela. Confira!

Aumento da eficiência

A gestão de risco de crédito eleva a eficiência ao reduzir as perdas geradas por pagamentos não realizados. A inadimplência surpreende os empreendedores por que não há um padrão definido para evitá-la totalmente. Utilize as boas práticas de gestão para manter em segurança as políticas de crédito e aumentar as chances de recebimento.

Evitamento de crises de governança

Os gestores conseguem evitar crises de governança pela aplicação de boas práticas e por meio da comunicação eficiente. Os princípios éticos protegem todos os interessados, colaboradores, clientes, parceiros, fornecedores, credores e a sociedade. Faça uso da gestão de riscos para conduzir a governança corporativa e para que ela seja vista como algo favorável.

Redução das incertezas

Com a gestão de riscos, as incertezas são reduzidas devido ao gerenciamento de tempo e à possibilidade de evitar problemas financeiros. Ela reduz os impactos negativos de eventos problemáticos e facilita a tomada de decisões com maior segurança por parte dos empreendedores.

Economia e eficiência

A gestão de riscos propicia a eficiência econômica, pois avalia uma combinação de atividades e verifica as possibilidades de reduzir custos e maximizar as receitas. Os gestores analisam as principais fontes de riscos do mercado e conseguem criar planos de ações para que o setor financeiro seja impactado de forma positiva.

Prevenção de inadimplência

Um dos maiores riscos de crédito que uma empresa pode ter é a inadimplência. Especialmente se você oferece vendas parceladas ou outros tipos de pagamento posteriores à aquisição. A saída do produto significa que o seu investimento já foi fechado, enquanto o não pagamento transforma esse custo em prejuízo.

Há várias maneiras de lidar com essa situação. Uma delas é avaliar o perfil do cliente antes de conceder o crédito para uma compra ou para o cartão/crediário da loja, por exemplo.

Alguns compradores que estejam com o nome sujo ou que não possuem o crédito necessário para fazer uma compra segura podem ter sua aprovação de compras bloqueada temporariamente, por exemplo. Pode parecer uma medida drástica, mas é bem melhor para ambas as partes que não haja uma dívida em aberto acumulando juros.

Acompanhamento orçamentário

Uma gestão de risco de crédito eficiente também envolve um acompanhamento preciso do seu orçamento. Afinal, é assim que você descobrirá quais áreas estão gerando mais prejuízo e como você poderá lidar com a situação. Quanto mais dados você tiver sobre suas finanças, melhor.

Para esse ponto, vale a pena investir em uma solução de gestão integrada. Por meio dela, você pode captar informações de forma mais rápida e de diferentes fontes. Tudo de forma padronizada e facilmente legível para análise.

Elaboração de estratégias de crédito

É importante lembrar que sua prevenção de riscos também envolve suas próprias atitudes. Ou seja, você deve se preparar antes de fazer um investimento para garantir que ele terá o retorno desejado. Por isso, você deve desenvolver uma estratégia de crédito antes de começar.

Esse planejamento envolve vários aspectos, desde a manutenção do seu faturamento até os possíveis problemas de mercado que possam ocorrer. Isso ajuda a empresa a se prevenir contra eventualidades, reagindo mais rapidamente e minimizando perdas, quando necessário.

Como é feito o gerenciamento?

O gerenciamento é feito com a organização do ambiente e a escolha do gestor capacitado, que ficará responsável pela gestão de riscos. Ele vai averiguar e administrar os elementos que causam incertezas por meio de um planejamento que envolve a identificação dos riscos que precisam ser gerenciados.

Identificação

Analise e identifique os riscos considerando os objetivos da empresa. Monte uma equipe para que outras pessoas consigam contribuir com as suas ideias e visões sobre as probabilidades de perigos. Confira os pontos fracos e fortes, as ameaças e as oportunidades.

Análise

É preciso fazer a mensuração dos riscos para ver quais são mais significativos conforme a análise quantitativa e qualitativa. Há riscos mais importantes e outros mais inofensivos. Use uma estrutura analítica de riscos para avaliar as fontes e priorize os mais impactantes.

Avaliação

Faça uma avaliação dos riscos e coloque-os em ordem de prioridade para que sejam tratados. Verifique os fatores, os valores envolvidos e calcule as probabilidades de ocorrência de eventos negativos.

Tratamento

Essa é a resposta aos riscos que foram identificados. Nesta etapa, o gestor define as ações e medidas a serem tomadas para eliminar ou minimizar os riscos, ou ainda para transformá-los em algo positivo para a organização. Compartilhe com os outros profissionais essas informações.

Monitoramento e registros

O monitoramento e o registro dos resultados são primordiais para o planejamento de estratégias futuras. Se for necessário, faça mudanças e ajuste as inconformidades para otimizar as respostas. Novos riscos poderão ser identificados nesta fase, de modo que o controle deverá ser constante.

Como fazer uma gestão de risco de crédito eficiente?

A seguir, mostramos os principais passos para você fazer a gestão de risco de crédito em sua empresa. Acompanhe!

Compreenda os riscos existentes

As ameaças estão presentes em todo tipo de transação. Nesse sentido, compreender quais são os riscos de crédito existentes é fundamental para proporcionar mais segurança ao negócio.

Entender essa questão ajuda o gestor a identificar possíveis problemas que podem comprometer a funcionalidade da empresa, o que contribui para a criação de estratégias eficientes que garantem que o negócio não sofrerá prejuízos.

Além disso, ao compreender os riscos existentes, o gestor também consegue verificar se as reservas de capital são capazes de cobrir perdas em curto prazo.

Conheça os 5Cs do crédito

Você sabia que a gestão de riscos está embasada em cinco pilares? Pois bem, eles são essenciais para trazer mais segurança nas tomadas de decisões, pois como diferentes critérios são analisados, as incertezas são reduzidas. Veja quais são os 5Cs:

  • caráter: está ligado à reputação do cliente no mercado e, consequentemente, ao seu histórico financeiro. Isto é, a avaliação das transações anteriores também são analisadas;
  • capacidade: aqui, é verificado se a empresa é capaz de honrar com todos os seus compromissos;
  • capital: diz respeito ao patrimônio líquido do cliente;
  • colateral: refere-se a todas as garantias que são oferecidas para possibilitar a transação, como carro, imóveis e outros ativos;
  • condições: é a análise de potencial crescimento ou declínio do cliente, no que se refere à sua situação financeira.

Invista em tecnologia

O monitoramento dos riscos e a automação dos processos precisam estar alinhados para atender às necessidades da empresa e, com isso, reduzir os riscos de crédito. Com soluções específicas, você consegue avaliar várias informações, como histórico de transações financeiras, bancos de dados, consultorias cadastrais, entre outros.

Essas informações trazem mais segurança com relação às condições do cliente, possibilitando que a concessão de crédito seja feita com o mínimo de risco possível. Sendo assim, além de realizar transações seguras, você também consegue ter uma boa relação com o seu cliente.

Conte com o auxílio de uma empresa especializada

Nem sempre o gestor consegue ter um conhecimento absoluto sobre todos os processos de uma empresa; no entanto, isso não é um problema, é algo natural. O importante aqui é reconhecer a necessidade de auxílio e contar com uma empresa que apoie essa estrutura de maneira consultiva para otimizar a rotina do seu negócio. Entre os principais benefícios que isso vai lhe proporcionar, podemos citar:

  • aumento das vendas aos clientes que apresentam baixo risco de inadimplência;
  • redução das chances de erros;
  • diminuição das perdas pela limitação de vendas aos clientes que apresentam risco elevado.

Além disso, o seu negócio também se beneficia com:

  • auxílio na definição da política de crédito;
  • modelos estatísticos para prever a inadimplência de clientes;
  • automação e padronização do processo;
  • redução de perdas com crédito e despesas;
  • otimização do tempo;
  • suporte na tomada de decisão.

Agora, você já sabe o que é gestão de risco de crédito? Ela deve ser levada muito a sério nas empresas. Isso porque, sem uma receita suficiente, o negócio não tem como se desenvolver, realizar novos investimentos e o pior: não consegue arcar com seus compromissos, o que faz com que ele contraia muitas dívidas e perca credibilidade com os seus fornecedores.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, baixe nosso e-book gratuito: “Como lidar com a inadimplência no seu negócio”.


Você também pode gostar

Deixe um comentário